segunda-feira, setembro 03, 2007

Mumunha

Um vestibular para Direito. Um concurso público. Um negócio próprio como estacionamento ou oficina mecânica. Quem sabe até a minha tão sonhada granja de porcos no interior. Na verdade, não importa. Em dias como hoje qualquer alternativa profissional me parece maravilhosa.




Direto na têmpora: Glorified G – Pearl Jam

2 comentários:

don oliva disse...

Fez-me lembrar o Neil Ferreira. Quando o conheci, ele estava saindo da Norton, separou-se de sua famosa dupla com o Jarbas de Souza (ganharam todos os prêmios que se possam imaginar com “O Conhaque do Papa” e a campanha da “Mamãe Fotoptica”, e foi criar galinhas.
Daí o Jarbas saiu da Norton e fundou a "Alltype", empresa de fotoletras e fotocomposição (coisa que se usava naquele tempo).
Mas, como isso é “coi” de rico, ou de publicitário famoso, acho que pouco mais um ano depois, ele voltou e foi para a P. A. Nascimento/Acar, e fêz um puta dum trabalho com campanhas memoráveis para a Coopersçucar e tantas mais...
Anos depois o Neil voltou para a Norton, e foi ser diretor de criação nacional daquela agência.
O Neil foi um dos profissionais mais brilhantes da "História da Propaganda Brasileira", que vai aqui contada um pouquinho, só um pouquinho por quem assistiu um pouco dela. E teve o prazer de conhecer figuras como ele, o Jarbas e outros inesquecíveis personagens da nossa vida.
Desculpe se falei demais, mas, a vida tem dessas coisas. Dias que a gente quer mais é olhar o tempo passar mascando fumo e cuspindo pro lado, que nem matuto.

Redatozim disse...

A propaganda mudou, a suinocultura também. Valeu o testemunho, Don Oliva (ele próprio um post dos melhores), mas que eu tô sentindo falta de ter levado a megasena ontem, eu tô.