quinta-feira, setembro 20, 2007

Versinho impossível

Poeminha que fiz para a Fernanda já faz tempo e que transformei inclusive em uma almofadinha (travesseirinho) bordado. Reli no quarto esses dias, achei bonitinho e resolvi postar.

Amar-te em versos
Doce impossibilidade
Em qualquer língua que não rime
“para sempre” e “felicidade”



PS - Descobri que tenho uma leitora-mirim muito especial: a pequena socialite e modelo de Mona Lisa, Helena. A mãe já me recomendou que modere minha linguagem e que não faça mais um jornalismozinho marrom como aquele que cometi no post High Scandal Musical. Juro que vou tentar. Ah, se você lê o blog mesmo, Heleninha, beijo pra você e pra sua irmã Mariana, viu?




Direto na têmpora: Autumn Leaves - Nat King Cole

12 comentários:

Maria Luiza Pedrosa disse...

Mas foi vc quem bordou a almofada?

Redatozim disse...

hahahahahaha habilidade manual zero, Maria Luiza. Só escrevi e arranjei um fornecedor.

Marcela disse...

Que lindeza esse poema. Muuuuito fofo. Mas a idéiá de bordar a almofada foi sua mesmo? Tô achando muito estranho para um ogro urbano.

Redatozim disse...

Os ogros também amam, Marceleza. Não só mandei bordar como foram duas e eu entreguei de surpresa. Até edredon pra Sophia personalizado e com poema eu mandei fazer.

Jonga Olivieri disse...

hehehe Este mulherio fica meio perdido quando a gente toma atitudes que são essenciais ao prolongamneto de uma relação de amor. Pasme, mas com elas mesmas.
Mulheres não resistem a esses pequenos poemas, desenhinhos, ou um belo arranjo de flores.
Agora... ainda ficam gozando?
Tipos Jonh Wayne já eram... se é que algum dia já foram.
A não ser para as famosas mulheres de malandro.

Redatozim disse...

É assim, Oliva, a gente bate é bruto, a gente beija é bicha.

ISA TOM disse...

Malilo, me derreti! Será que posso usar ? Tava louca através de um texto bacana pra poder colcoar no casório e me deuuma vontade de colocar esse! Romântico,autentico e liiindo!

Redatozim disse...

Dando os créditos pode usar sem erro, Isabela. Manda ver!

Isa TOM disse...

Malilo, eleserá recitado após a minha entrada. POde deixar que vou pedir para colocar no final "Maurilo Andreas". E se o cerimonial increspar eu digo que é o mais importante do poema! Aguarde e confira!

Redatozim disse...

hahahaha obrigado, obrigado, mas nem precisa, só se fosse num material impresso mesmo. O maridão aprovou?

Isa disse...

Aprovou demais! Vai arrasar!

Redatozim disse...

Ueeebaaa!