quarta-feira, setembro 05, 2007

Circense

Elogiar é uma arte. Ofender também.

Meu pai conta que, recém-casado com minha mãe, foram sair para uma festa quando a empregada da casa da família em Ouro Preto olha pra ele, os olhos até brilhando, e se derrama: "Ai, Seu Nilo, o senhor está lindo com essa roupa! Parece até artista de circo!"

A dúvida que fica é apenas se ela elogiou mal ou ofendeu bem pra caramba.




Direto na têmpora: Take me home - Crystal Gayle

8 comentários:

don oliva disse...

A única vez que me aconteceu algo assim foi quando morei em Portugal, e alguém disse que minha roupa estava engraçada*. "Catso mio - pensei eu - a moça me chamou de palhaço?!!!".
Mas que nada, o "m'nina" queria apenas referir (lá não usam '-se') que a roupa tinha graça. hehehe
(*) até estou contando este causo num post que em breve vou publicar no "Casos" da propaganda.

roger disse...

hahahahahahah!
muito boa essa! vou incorporar à minha gama de elogios a você, menino.

Redatozim disse...

E o pior é que, quando eu falo com portugueses, sempre tenho a impressão de que, falando com aquela educação toda, eles estã é tirando sarro com a minha cara. Ah, não deixe de ler no Díário de Blindness o encontro entre o Fernando Meirelles e o Saramago em um restaurantezinho de Portugal chamado Farta Brutos. Simplesmente genial, Don Oliva.

Redatozim disse...

E o pior, Roger, é que não importa em qual área do circo você atue, o comentário mantém a força.

Jonga Olivieri disse...

Até postei um singelo comentário no post. Merece. Afinal um "téte-à-téte" com um Saramago não pode passar em brancas nuvens. Não é à toa que tem quase 80 comentários.

Redatozim disse...

Isso sem falar nos gringos boiando porque o Fernando e o Saramago conversavam em portugês. Bacana demais.

don oliva disse...

Também, canadenses que não falam francês. Coisa de saxônicos pré-potentes... Afinal, o francês é a segunda língua do país, e devia ser (talvez até o seja) obrigatório no ensino. Mesmo na distante Colúmbia Britânica...

Redatozim disse...

Verdade.