terça-feira, janeiro 06, 2009

Atores e sotaques

O que é pior: um ator que tenta fazer um sotaque e falha ou um ator que ignora completamente as origens do personagem e fala do jeito que quiser? Eu opto com alegria pela segunda opção.

Não sou muito noveleiro, mas agora, com Fernanda seguindo atentamente os últimos capítulos de "A Favorita", acompanhei o total desprezo do ator e bairro do Rio de Janeiro, Bento Ribeiro, pelo sotaque de seu personagem.

Na cena em questão, o personagem do ator (homônimo do local de nascimento do Ronaldo gorducho) tentava mascar a Claudia Ohana explicando suas origens mineiras (em Lavras, se não me engano). Até aí, problema nenhum, a única observação é que o cara falava com um fortíssimo sotaque carioca.

Aconteceu a mesma coisa em outra novela em que a Suzana Vieira tirava um bonitão da fazenda e levava pra morar com ela. Pois bem, o matuto falava igualzinho ao Romário.

Tá certo que nos dois casos os atores são simplesmente péssimos e despreparados, mas daí a ligar o foda-se e falar do jeito que quiser me parece meio errado.

Imagine, por exemplo, o Auto da Compadecida com um ator de sotaque gaúcho fazendo o Chicó e um outro com aquela puxada forte da periferia paulista fazendo o João Grilo. "Não sei não, tchê, só sei que foi assim, bah!"

O tal Bento Ribeiro é filho do João Ubaldo Ribeiro (!) e, apesar de um ator horroroso, me parece o menos culpado no processo. Tem um diretor que diz corta e manda editar a cena, tem alguém que selecionou o cara pro elenco e tem um monte de gente que acha normal alguém de Lavras puxar o "s".

E o pior, enquanto procurava no Google informações sobre nosso canastrãozinho, ainda achei elogios à sua "atuação". Ainda bem que agora lá em casa tem duas tvs e eu posso assistir Mad Men (em dvd) no horário nobre.




Direto na têmpora: Use me - Bill Withers

20 comentários:

zega disse...

eu acho que o pior é a alternativa 1. imagina esse carioca tentando se adaptar ao mineirês de lavras, com aquele “r” típico do interior mineiro e paulista... bom, na verdade o ideal é arranjar um ator competente e com educação vocal mesmo...
aliás, mais carregado que o “r” de lavras, só o de vãrginha, hehe. ou o de ituiutaba =D

redatozim disse...

Mas Zega, só do cara anular o sotaque original já ajuda. Não consegue falar igual ao povo de Lavras? Ok, mas pelo menos não fale com seu sotaque original, seja carioca, baiano, paulista, gaúcho, etc.

alexandre, inda em 2001 disse...

televisão?
o que é isso?
lemcasa eu tenho um caixote que chamam de máquina-de-fazer-doido.

redatozim disse...

Tudo pelo Seinfeld, meu caro alexandre. E por Two and a half men também.

Tita disse...

Boa foi a citação do Auto, hahahaha.
Sabia que eu já encenei? Fiz o coronel..peguei emprestado do meu avó o paletó e o chapéu dele...fiquei tininda...hhahahaha

redatozim disse...

E mandou um sotaque do sul de Minas pro coronel, tita? Espero que não rs

Cejunior disse...

Também fico com a segunda opção. Acho que é obrigação para um ator "interpretar" sotaques diferentes!
Estou cansado de ver atores americanos encararem personagens com sotaque sulista, novaiorquino ou britânico.
Agora, a Globo e a crítica dita "especializada" é muito condescendente com esses garotos... mais ou menos como a crônica desportiva paparica certos pernas de pau e ainda tem coragem de dizer que são craques!
Acho que são coisas do Brasil...
Um abração.

ndms disse...

Vejam a Marilia Pera, por exemplo, ela tem a capacidade de adaptar-se em qualquer papel, seja na pronuncia ou nos trejeitos. É uma excelente atriz e pode dar aulas para muitos destes maus atores

redatozim disse...

Pois é, Cejunior, sua comparação é muito pertinente. Você veja, por exemplo, que até a Grazi Massafera está fazendo aulas para perder o sotaque do norte do Paraná. Isso é o mínimo que alguém que busca ser ator pode fazer. Esse elogio fácil a que se acostumaram os jogadores de futebol e atores é um grande mal. Por isso existe tanto picareta que aparece e some de repente. Se alguém tivesse dito: você é ruim demais, aprende a fazer primeiro, talvez a história fosse outra.

redatozim disse...

Nem precisa ir longe, ndms, até o canastrão do Tarcísio Meira faz sotaque quando precisa.

Ilda disse...

Esse tal Bento Ribeiro é ruim até se fizer papel de um cara em coma eterno cheio daqueles aparelhos de UTI. Argh!

redatozim disse...

Ele é praticamente o cigano Igor, Ilda.

camila disse...

que preguiça de qq novela. agora: eu quero mad man! grava pra mim? please?

redatozim disse...

gravar não tem como, mas podemos negociar um empréstimo da caixinha de dvds, camila. quem sabe?

Jonga Olivieri disse...

Talvez seja um dos fatores pelo qual não vejo novelas!
Don Oliva

redatozim disse...

Fator justíssimo aliás, Don Oliva.

Andre disse...

Hehehe! Two and a Half men é muito bom mesmo!

redatozim disse...

Agora quero ver se compro as temporadas todas de House, Andre.

Patrick disse...

Eu sou de Lavras e nós temos,s im, um sotaque carregado - que eu perdi desde que me mudei para Brasília, há seis anos. Entretanto, há uma correção: o persoangem Juca era de Pitangui, não de Lavras!!!

redatozim disse...

Patrick, na verdade pouco importa de onde é o sotaque do personagem, se de Lavras ou Pitangui (mas valeu a correção). O que me irrita é o ator mnão se interessar sequer em estudar o sotaque do personagem. Até porque, ele não vivia no Rio há 6 anos e não havia trocado o sotaque do sul de Minas por um carioca novinho. Enfim, é a aceitação da mediocridade por algum motivo que eu não entendo.