sexta-feira, janeiro 09, 2009

Guia para atendimento / cliente

Quem ainda não lê o "Piores Briefings do Mundo" (listado ao lado como "Mal Brifado"), precisa começar hoje. Mesmo em férias, eles deixaram um legado sensacional com o guia "Como enlouquecer um Diretor de Arte em 8 passos". Simplesmente brilhante.

Não vou listar tudo, mas digo que o 8o passo é simplesmente perfeito. Quando a gente cede após tanta loucura e faz o que pedem, invariavelmente vem o comentário: "mas aí você não fez nada, acabou que eu fiz tudo sozinho".

Enfim, nosso caminho para o céu está pavimentado em ouro e com refrescos geladinhos servidos ao longo do trajeto. Segue aí o item 8:


"Depois de aplicar todos os itens desta lista em sua vítima, faz parte da natureza humana (embora alguns irão argumentar se eles são humanos ou não) ficar um pouco inseguro. Conforme ele for percebendo que não pode satisfazer suas necessidades, o diretor de arte irá abandonar todas as suas esperanças de vencer uma discussão e irá fazer só o que você disser para ele fazer, sem questionar. Você quer aquilo em roxo? Então é roxo. Seis fontes diferentes? Claro!

Nesta altura dos fatos, você deve estar pensando que venceu, mas não se esqueça do seu objetivo: ele tem que desistir desse negócio. Então esteja pronto para o golpe final: Quando estiver em suas decisões finais sobre cores, formas, fontes, etc, diga-lhe que está desapontado com a falta de iniciativa dele. Diga-lhe que afinal de contas, ele é o DIRETOR DE ARTE e que ele deveria ser o cara que coloca sua experiência e seu talento no trabalho, não você. Que você estava esperando mais soluções e avisos sobre o layout dele.

Diga-lhe que você está farto desta falta de criatividade e que era melhor você mesmo fazer o seus layouts no publisher ao invés de pagar por seus serviços. E aí está. Você deve ter um diretor de arte imobilizado em uma camisa de força em pouco tempo!"





Direto na têmpora: Manchild - Eels

18 comentários:

Gastão, hoje com o falador ligado no máximo disse...

Cara, eu nunca tinha entrado nesse outro blog.

Dei muita risada, mesmo sem entender algumas coisas (termos, situações, práticas) inerentes a publicidade.

Vou lá de vez em quando.

Lucas Queiroz disse...

Sad, but true.

redatozim disse...

E aí, Gasta, você pode perceber que o sadomasoquismo é uma prática aceita e valorizada no meio publicitário, sendo que eles entram com o chicote e eu com o lombo.

redatozim disse...

parabudiando, lucas: true, true

Jonga Olivieri disse...

Eu "preferia não comentar", mas... é o tal caso: para além de diretor de arte, sou também redator, escriba, ou seja lá o diabo que seja!
Na verdade ia cursar jornalismo. A ditadura dos milicos "feadapás" não deixou.
Bem que tentei, Maurilo. Mas quando ia me matricular no vestibular tinha um tal de "Atestado de Bons Antecedentes". Você (felizmente) não conheceu essa pôrra. Daí constava que o “elemento” (eu) era subversivo e etc, etc e tal!
Cheguei a ser “foca” num jornal, tal era a minha paixão pela coisa. Mas me mandaram para a Delegacia de Polícia (foca vai pra polícia ou pro campo de futebol, isso era praxe) numa época em que eu era perseguido pelas autoridades (?) de Brasília. Desisti! Claro, não nasci pra Indiana Jones!
Restou-me a profissão que escolhera (publicidade) quando meu pai preferia que eu fosse pro Banco do Brasil, já que era sofrível no ensino secundário, e ele (coitado) na melhor das boas intenções achava que este seria um caminho para a sobrevivência, numa época em que o BB era profissão com plano de carreira e os cambal.
Por isso sempre fui um DA diferente desses DA’s que você conhece pelai! Talvez por isso tenha sido diretor de criação aqui no Rio, onde não é comum que DA’s o sejam.
Não estou me gabando. Até parece, mas apenas mostrando que nem todo diretor de arte é o mero burocrata cumpridor de ‘jobs’ como você conhece, e eu conheci muitos, até excelentes DA’s, mas apenas DA’s.

Don Oliva de Textones e Texticulos

Guerreiro Antonio disse...

Como jornalista, só posso te dizer que a frase "mas aí você não fez nada, acabou que eu fiz tudo sozinho" me parece com editor que mexe e remexe na sua matéria e depois quer levar o crédito por você deixar ele transformar seu texto em um número X de palavras sem sal!

Guerreiro Antonio adorou a quadrinha e até postou lá no blog. Ontem fomos comer caranguejo e eu danava a repetir a quadrinha, botando o caranguejo pra andar pra frente e pro lado. Antonio (que não aprecia a iguaria) ria cheio de dentes do caranguejo que andava na mesa.
Obrigada mesmo!
Uma pergunta: é de sua autoria?
Abs,
Clarissa e Antonio

danny falabella disse...

no dia que eu li isso no blog mal brifado meus olhos se encheram de água...enfim alguém listou todo nosso sofrimento e retartou a mais pura e brutal realidade de uma forma simples e clara...cada item que ia lendo me vinham alguns flashbacks na mente...hehehe

redatozim disse...

Don Oliva, na verdade conheço poucos DAs que sejam só executores de trabalho. Tenho tido a sorte de trabalhar com gente que está sempre atrás da idéia primeiro e do layout depois. Agora, infelizmente, você sabe muito bem que na escala de aprovação das coisas, nem todo mundo pensa assim. Aliás, acho que o cara escreveu sobre DAs porque é DA, mas na verdade acontece exatamente a mesma coisa com redator. Na verdade, acontece ainda pior, já que é muito mais fácil para o cliente mandar um texto escrito do que fazer um çlayout no computador. E acredite, nunca mandaram texto pronto pra mim quanto agora. Resisto? Sim, mas chega uma hora que o melhor é deixar pra lá.

redatozim disse...

Clarissa e Antonio, a quadrinha é minha sim. Inclusive faz parte de uma série delas chamad "Rimarinhas" e que pretendo (se alguém aí tiver interesse...) publicar. Vai mais uma pro Antonio:

"O hipocampo, vejam só,
agora é cavalo-marinho
se o nome dele fosse Antônio
ia acabar virando Toninho."

redatozim disse...

Danny, acho que as dores são as mesmas pra todos nós. Só muda o salário rs

Micho en el pais de las maravillas disse...

Eu leio cada coisa nos pedidos de trabalho, tudo estava listado no manual.
Então vou parar de falar que o atendimento não sabe fazer briefing! sabem sim...seguem o manual direitinho!
Ai meu Deus!

redatozim disse...

Micho, é tudo por querer, pode acreditar. Ninguém é tão ruim assim por acaso.

camila disse...

o "piores briefins" é o melhor. eu descobri há bastante tempo e fiz questão de mostrar para todo o mundo q eu conheco hahahahahahaha

redatozim disse...

a idéia é muito boa, mas os verdadeiros mártires / gênios são os leitores que contribuem, camila

Jonga Olivieri disse...

Era mais fácil antes da merda do Corel; programinha fajuto rejeitado no primeiro mundo mas usado aqui até em agências. Pasme: em agências!
E que possibilita a clientes dar palpites porque o filhinho dele tem um "jeitinho danado" pra fazer coisinhas no computador.
Don Oliva

redatozim disse...

Sem sombra de dúvidas é um dos componentes do problema, Oliva, a juniorização e amadorização do processo.

camila disse...

leitores/sofredores, né?

redatozim disse...

exato, camelan