sexta-feira, dezembro 05, 2008

Amora

Lá em casa tinha laranjeira, limoeiro, pé de maracujá, de mamão e de manga. Na casa do meu vizinho, tinha pé de ameixa e de cajamanga. O mato em frente era cheio de jabuticabeiras, amoreiras, pitangueiras e pés de carambola.

A gente não só comia muita fruta, como sabia muito bem a época de cada uma e esperávamos ansiosos os pés ficarem carregados das nossas favoritas.

Para mim, não havia nada igual aos tempos de amoras. Invariavelmente chegava em casa roxo, com os dedos e o rosto entregando a farra que acabara de acontecer, a blusa nova perdida para sempre.

Comer amoras era uma mistura de prazer gastronômico e de diversão pura. Subir no pé, escolher as mais pretinhas, tudo isso era quase tão bom quanto o gosto da fruta em si.

Às vezes pegávamos bacias de lavar roupa e enchíamos de amoras. Já no meio do caminho, comíamos metade, e o resto colocávamos no congelador para comer mais tarde.

Hoje, não me lambuzo mais de amora e nem me atrevo mais a subir em alguma árvore atrás de frutos. No máximo vou à feira ou ao supermercado e me delicio com aquelas cores e cheiros que lembram a infância.

Mas se pudesse fazer um desejo para a minha filha, com certeza seria que ela tivesse um pé de fruta para subir. E se não for pedir muito, um de amora, só para ver ela chegar roxa de felicidade como eu já fiz um dia.


PS - Restam apenas 3 caixinhas vermelhas e 2 azuis. Hoje acaba a promoção, então é melhor garantir o seu.




Direto na têmpora: The Jeep Song - Dresden Dolls

18 comentários:

danny falabella disse...

este é meu sonho tb...a casa do meu avô aqui no santa tereza tem jabuticabeira de mais de 100 anos, laranja, caqui e banana...mas eu não tenho 350 mil para comprá-la...***suspiro***

redatozim disse...

Eu tenho 350 reais, adianta, danny?

zega disse...

tem um pé de amora na frente do banco do brasil ali na sergipe. se vocês não se importarem com o visual ou com a limpeza do fruto...
caminhando por santa tereza também é possível encontrar alguns, principalmente naquela região do metrô, ali perto da ex-sensacional pizzaria do cardoso..

redatozim disse...

Na lagoa seca do Belvedere também tem, zaega, mas definitivamente não é a mesma coisa.

Rubens disse...

Olha só que coincidência: plantamos lá em casa, há poucas semanas, um pé de amora, que se junta aos pés de jabuticaba e pitanga. Pés de amora sempre foram um dos meus preferidos. Como você disse, pelo sabor delicioso da fruta e por voltar sempre com os pés e as mãos roxinhos. É um pé especial pras crianças mesmo.

redatozim disse...

Artur ainda vai te agradecer muito por isso, Rubéola, pode ter certeza.

Presunto disse...

A melhor que eu achava eram as ameixas. Aquelas amarelinhas... Andar no mato em Ipatinga era uma coisa de doido. Fome a gente tinha certeza que não passava ali. Vc se lembra quando a gente invadia o quintal do povo lá, roubavas as frutas, e depois pulava o muro de volta, tocava a campanhia, e vendia a fruta pro povo, pra comprar o uniforme do nosso time de futebol? Coisa de doido... Eu me lembro da gente andando na rua carregando até aqueles tocos enormes de cana. Pior do que isso, eu me lembro um dia que a gente estava chupando cana dentro da sala de aula, no colégio. Isso é que dá ser colega de sala de criaturas mitológicas como o Fredão e o Gustavo.

redatozim disse...

Eu já coloquei amora na cadeira de uma amiga muito querida, Presunto. Ela sentou e ficou com a calça roxa durante todo o dia, para delírio dos colegas de sala. Cara, eu era uma pessoa ruim.

Monalisa disse...

ei Maurilo, to aqui engrossando seu caldo dos visitantes dos EUA!
Ouvi falar que la em Sabara eles alugam pes de jabutica, por hora. Quem nao tem cao...
abracos!
Mona

ndms disse...

Quem sabe logo, logo, Sophia nao vai ter um pe de frutas para subir?

Presunto disse...

Que isso, Cotão. Vc era um santinho. Ainda mais comparado com seres míticos como o Zamba. Pergunta pro Pacheco que vc vai ver...

PS. Chegou na cabine de som que o Zamba agora "encontrou Jesus". Eu morro de curiosidade pra ver esse fenômeno...

redatozim disse...

Pois é, Mona, mas pé de fruta ou é seu ou é de todo mundo. Se for dos outros não tem graça.

redatozim disse...

Tomara, ndms.

redatozim disse...

Pois é, Presunto, pensando bem até que eu não era tão ruim assim. Aliás, Pacheco é pai, tá sabendo?

Presunto disse...

Não fiquei sabendo do Pacheco. Mas a última vez que o vi, ele estava de terno e gravata. Pra quem não conhece a peça, até parecia realmente "gente-grande". Ser pai é a cerejinha então, no topo do sundae. É a vida.... e o famigerado tempo que não para de passar. Outro dia encontrei um cabelo branco no meu peito. Depois de gritar e correr desesperado pela casa (dar chilique mesmo), eu arranquei o maldito com uma pinca botei numa daquelas cumbuquinhas de queimar vela, botei alcool, e toquei fogo! Quase uma seção de exorcismo completa. Depois disso, dormi relaxado.

redatozim disse...

Eu não tenho cabelo branco, Presunto, aliás, eu quase não tenho mais cabelo.

lilaemarcelo disse...

Rapaz conheci pé de amora no s;itio que meu sogro tinha e me apaixonei por aquela frutinha! Tanto que, em uma viagem para curitiba, com meu digníssimo, me vi enlouquecida, no meio da rua, pegando amora no pé. As pessoas passavem e olhavam assustadas! Hoje temos pés de caju em nossa casa e este fim de semana vi meu filho dependurado em um, na maior felicidade. Não há nada como comer fruta no pé da mesma!

redatozim disse...

lilaemarcelo, amo amora, mas também adoro caju. Um vizinho, Marcelo Moreira, tinha na casa dele e eu me fartava. Até hoje compro caju e amo o cheiro que deixa em tudo. aliás, caju, rabanete, coca-cola e halls preto a Sophia já associa como preferências claras minhas.