segunda-feira, dezembro 15, 2008

Venezuela Blues

10 coisas de que vou sentir falta agora que meus pais voltaram da Venezuela, mas das quais abro mão alegremente para ter a presença deles aqui. A propósito, a ordem dos itens é irrelevante.


1) Queijo Guayanés: gorduroso, sim, mas juro que é difícil arranjar outro queijo tão gostoso, mesmo aqui em Minas Gerais. Com certas combinações, fica quase celestial, o que nos leva ao item 2.

2) Cachapa: a cachapa é, discutivelmente, a grande invenção da história venezuelana. A cachapa con queso (guayanés obviamente) é algo capaz de iluminar o mais sombrio dos dias.

3) A proximidade com o Caribe: para quem mora longe do mar, a possibilidade de uma viagem de 4 horas de carro levar a algumas das mais belas praias do mundo é, no mínimo, muito atraente. Playa Blanca, Curaçao, Aruba, Bonnaire, lugares que só conheci porque meus pais moravam por ali.

4) Os parques de Puerto Ordaz: uma cidade onde o rio Orinoco encontra o rio Caroní só poderia mesmo ter uma porrada de parques bacanas. Iguanas soltas, muito verde e uma quantidade absurda de água em locais muito bonitos. E o que é melhor, a 15 minutos de qualquer lugar.

5) Chocolates El Rey: pode ser surpresa para alguns, mas a Venezuela produz grandes chocolates. O El Rey de 41% de cacau, o de 58% de cacau e o de 70 e tantos por cento de cacau são verdadeiras preciosidades sem as quais terei que viver.

6) O quintal da casa dos meus pais: piscina, árvores frutíferas, uma varanda deliciosa e muito verde. Queria que a Sophia tivesse conhecido aquele quintal hoje ao invés de com apenas 4 meses.

7) Colônia Tovar: pertinho de Puerto Ordaz com morangos, friozinho(!) e boas cervejas. Nem é tão lindo assim, mas que diferença de Puerto Ordaz.

8) O Teleférico de Caracas, no Cerro El Avila: do calor infernal de Caracas ao frio do Cerro El Avila, a 2153 metros. A vista é linda, a subida é muito bacana e a viagem vale a pena.

9) Arepa: nenhum café da manhã na Venezuela está completo se não tiver arepas. É como um café da manhã em hotel do nordeste sem tapioca.

10) O tax-free da Ilha Margarita: claro, a ilha tem algumas praias legais e hotéis bem bacanas, mas nada como fazer compras pagando bem mais baratinho do que aqui e ainda dormir na casa dos pais. Deveria ter comprado 3 relógios Swatch ao invés de um só quando estive lá.




Direto na têmpora: Mr. Tough - Yo La Tengo

8 comentários:

Micho en el pais de las maravillas disse...

O que a sua familia não vai sentir falta : Hugo Chavez e a sua mania de enmendar a constituição para se reeleger presidente!
Certo?
No mais concordo com o ranking, já que tenho ótimos amigos Venezuelanos.

redatozim disse...

Sem dúvidas, micho, do Chávez ninguém sente falta. Se bobear, nem a mãe dele.

Jonga Olivieri disse...

Nuestra América muy linda!
O Caribe tem uma mágica... quer dizer que seus pais voltaram?
Lembro que desde que o conheci eles moravam lá. O queijo Guyanés, juro que gostaria de conhecer. Hummmm! Pelo que você fala deve ser uma delícia mesmo. Uma tremendsa falha na minha cultura gastronômica.
E quanto ao Chávez... prefiro não comentar!
Don Oliva

Tita disse...

Menino, me deixou com vontade de conhecer a Venezuela....:P

redatozim disse...

Pois é, Oliva, ficaram 10 anos por lá e, enfim, voltaram. Mas, realmente, o Caribe é um troço diferente, principalmente em Curaçao.

redatozim disse...

Vai lá, Tita, não posso mais oferecer estadia, mas segue uma dica de lugar em que não fui: Los Roques parece ser maravilhoso.

ndms disse...

Muito boa a sua observaçao Micho. Chavez está acabando com aquele belo país. Acho que agora Venezuela serve para visitar e conhecer tudo que o redatozim disse. Para morar, nao serve mais, porque o país está dividido e por isso nada progredi a nao ser o odio e a disputa

redatozim disse...

É isso aí, ndms, continua valendo a visita, mas só a visita.