quarta-feira, dezembro 10, 2008

Rumo ao desastre

Diz a lenda que uma vez um advogado japonês foi questionado sobre a gigantesca diferença entre o número de advogados no Japão e nos EUA. "No Japão, se alguém é atingido por uma bola de beisebol, ele sorri e leva a bola como souvenir. Nos EUA ele processa quem arremessou, quem rebateu, quem construiu o estádio, a pessoa da sua frente que não pegou a bola e por aí vai."

Talvez essa historinha nem tenha tanto a ver com o tema do post, mas eu acho ela legalzinha, então coloquei aí e pronto. Eu queria mesmo era falar daquelas pessoas que lêem os avisos de área radioativa, vêem os animais mortos e as árvores marcadas pela radiação e continuem seguindo em frente sem nenhum motivo justificável. Meses depois, com um tumor do tamanho de um ovo de avestruz debaixo do braço e a pele escamando incessantemente, perguntam-se como aquilo pôde acontecer.

Essas pessoas que ignoram todos os sinais e marcham estupidamente rumo ao perigo anunciado são as primeiras a esbravejarem contra o destino. É como alguém que dirige bêbado e sofre algum acidente horroroso apenas para processar a responsável pelo funcionamento do semáforo que ele atravessou no vermelho. Ou alguém que fuma a vida inteira, mesmo com os avisos nas embalagens e quer ferrar a Souza Cruz.

Eu sei, eu sei, são reações de dor e a dor não é lógica, mas o mundo já está muito cheio de cagadas avisadas. Empresarialmente falando, a coisa é pior ainda, mas não quero entrar em detalhes.

É por isso que a música de abertura de Dexter (o geniozinho do cartoon e não o psicopata) sempre me causa estranheza: A surpresa é muito grande quando as coisas fazem BUM no laboratório de Deeeeexteeeer.

Porra, Dexter, na boa, na verdade não é surpresa nenhuma.




Direto na têmpora: Why do you let me stay here? - She & Him

8 comentários:

Jonga Olivieri disse...

Esse personagem eu acho genialíssimo. Sem trocadalhos...
Don Oliva

alexandre, incongrooente disse...

redatozim, meu velho, uma esquete de um dos episódios do seinfeld resume bem esse seu descontentamento com a humanidade.

não sei se vc se lembra, mas ele critica o uso do capacete, por ser uma "proteção" contra atividade perigosa. e ironiza a insistência na atividade perigosa.

lembrando agora, tem ainda a comparação do clube com o mar.
que a onda é o leão-de-chácara do oceano. nós tentamos entrar no clube exclusivo, e o mar nos diz "não vai, não, senhor"
e insistimos.

e depois o groo que era burro.

pffff.

ndms disse...

A musiquinha de abertura do DEXTER psicopata tambem e MARA

redatozim disse...

A Deedee é a menina perfeita, Don Oliva. O desenho é bacana mesmo.

redatozim disse...

alexandre, você acertou com perfeição na analogia. Você usa o capacete porque andar em uma motocicleta a 250km é perigoso. Não seria melhor não andar nessa velocidade? O que me leva ao tema do meu próximo post, aguarde.

redatozim disse...

como quase não vejo, não conheço a música ndms, mas a série é muito elogiada sempre.

dany falabella disse...

o ser que processa a Souza Cruz me irrita profundamente...pqp! Tenho um amigo fumante que pede sempre o cigarro que tem a foto atras que avisa que cigarro causa mau hálito. Ele tem horror qdo entregam as de gente sem perna, brocha e bebês no jarro...aiaiaiai...e mesmo assim ta la fumando aquela m..

redatozim disse...

Tapar o olho pra não ver é o pior que tem, danny.