quarta-feira, dezembro 03, 2008

Segundas no clube

O Clube Morro do Pilar não abria às segundas em Ipatinga. Por essa época do ano, já estávamos de férias e o calor batia forte por ali.

Claro que brincávamos em casa, tomávamos banho de mangueira, andávamos de bicicleta, fazíamos guerrinha de mamona ou íamos nos aventurar pela mata. Mas o bom, o bom mesmo, era entrar escondido no clube e ficar dentro da piscina, paradinho como um sapo, sem sequer nadar.

Não sei se era a emoção do perigo, o medo de ser pego e suspenso do clube ou só mesmo a folga do calor, mas era bom. E a gente passava ali a tarde inteira se deixassem, observando os funcionários do clube passando ao longe, relaxados e alertas ao mesmo tempo.

E quando algum adulto do clube nos avistava ou se aproximava, corríamos rindo, pulávamos o muro e sumíamos na rua, a sensação de ter vivido queimando ainda na pele.




Direto na têmpora: Only Shallow – My Bloody Valentine

10 comentários:

Ludmila Bifano disse...

Olá! Também sou uma ipatinguense em terras belo-horizontinas! O calor de lá nos faz cometer loucuras mesmo!
Como dizem meus amigos, lá tem duas estações: verão e inferno.
Aproveitando...parabéns pelo blog, sempre muito inteligente e divertido.

redatozim disse...

Coisa boa, Ludmila. Você morava em que bairro lá? Se bem que saí de Ipa faz 20 anos, então a chance de sermos conhecidos é mínima. Beijo e obrigado pela visita.

Ludmila Bifano disse...

Também já sai de lá há um tempinho, faz mais de 10 anos.
Mas o último bairro que morei foi o Horto. Boas lembranças eu tenho!

redatozim disse...

Tenho muitos primos no Horto, Ludmila, Marina, Letícia, Carla e Tiago, mas, enfim.

emmibi disse...

Hahahahahaahahahah
eu também frequentava um clube nos dias de interdição. lembro que os meninos nem sempre levavam sunga, e a gente morria de vergonha quando eles usavam cueca branca...hahahahaah
deu saudades agora!

redatozim disse...

saudade das cuecas brancas, emmibi? rs

Presunto disse...

É... eita morro do pilar. Tinha aquela ducha do "campo de baixo" que era um risco menor do que ir até a piscina. E falando em Ipatinga, tinha também as corridas até a lagoa da prata às segundas-feiras. O esquema era mergulhar em alguma água pra aplacar o calor infernal. Ainda que fosse infestada de schistossoma.

redatozim disse...

REspondi seu comentário na MegaSena sem colocar seu nome, Presunto, mas você sacou que é pra você, né? Bom,na Lagoa da Prata ainda me lembro da primeira vez que fui e, após alguns km de bike naquele calor, quase vomitei. Depois foi só alegria e risco de contrair alguma doença horrorosa. Uma festa.

Presunto disse...

He he he... o segredo era ir mergulhando fundo na lagoa, até a água ficar geladinha, e então beber... Essa era a minha "ciência" pra evitar a xistose... não sei se funciona ou não, mas eu todo caso, para o meu anjo da guarda, o esforço foi o suficiente pra me evitar doenças. Sei lá: acho que demos um trabalho DANADO pros anjos da guarda naquela Ipatinga. E se eles não existem, então eu vou ter que repensar a história de não termos uma sorte fora do comum. Vc estava no dia que os caras da carrinho limpa trilho chegaram dando tiro? Eu vi o Teixeira pular uma cerca daquelas sem usar as mãos, cair de boca do outro lado, levantar e sair correndo como se nada tivesse acontecido... Coisa de louco...

redatozim disse...

Presunto, juro pra você que neste dia dos tiros eu devo ter sido o primeiro a ver, porque saí de perto mais rápido que todos os outros.