terça-feira, novembro 18, 2008

Fala que nem homem, caraya!

Um amigo meu está fazendo um livro para um artista. O prazo se aproximando do final, a coisa apertando, o artista liga e começa com o papinho “sabe como é, muita coisa acumulada, correria, se precisar você fica fim de semana pra gente dar um gás, né?”.

No que meu amigo respondeu prontamente. “Não. Se quiser você vire as noites e me entregue no prazo”

Perfeito e coisa que deveria ser feita mais vezes por diversos setores de atividade e, mais especificamente, por diversos setores de uma agência. Aí, vendo esse caso, lembrei de um amigo de Ipatinga que, junto com outros dois foi para a sala do temido Professor Tavares por alguma bagunça.

“Denílson, quanto tempo você acha que merece de suspensão?”

“Ah, Professor Tavares, eu acho que já me arrependi, sei que estava errado, um dia está bom.”

“E você, Marco Valério?”

“Eu acho também, Professor Tavares, um dia tá bom.”

“Tarcísio, e você? Quantos dias?”

“Duzentos, trezentos, quinhentos, pode fazer o que quiser, eu já passei mesmo.”

Enfim, às vezes a gente tem que lembrar que falar grosso não dói. E, mais importante, é fundamental.




Direto na têmpora: Dr. Satan's Echo Chamber – The Upsetters

2 comentários:

danny falabella disse...

adoro gente assim! Exemplos de vida a serem seguidos hehehe!

redatozim disse...

eu venho tentando seguir, danny