terça-feira, novembro 25, 2008

Mijando no próprio pé

Eu já disse que odeio o termo "do bem". Acho bobo, coisa de modinha, fraco. Mas esse é um problema meu. No entanto, vou fazer aqui algo que odeio e condeno, mas juro que é só essa vez (e teve aquela do motel mais antiga, vai): vou criticar uma campanha publicitária daqui de BH.

Falando sério, "Natal do Bem" não é legal. Pelo menos não para mim. Até porque não consido deixar de pensar em sua oposição: existe natal do mal?

Talvez um Papai Noel pedófilo e elfos que batem carteira dos transeuntes. Presentes estragados, a avó cuspindo no peru que vai ser servido para a família e um trenó movido a diesel e poluindo os céus.

Eu sei, eu sei, eu sou um velho resmungão e não há nada errado com a campanha. O problema, como eu já disse, é comigo mesmo.




Direto na têmpora: My name is Jonas - Weezer

18 comentários:

alexandre, my name is george costanza disse...

rapaz, o contrário de natal do bem é o carnaval do mal, com todas aquelas bandas de axé.

mesporque não tem carnaval do bem tampouco.

redatozim disse...

acho que são dois pleonasmos, alexandre. E no caso dos opostos são duas impossibilidades.

danny falabella disse...

eu ja havia concordado contigo no post antigo e volto a concordar..ridículo! natal do bem de c* é r*la...Mas que o Natal do mal é ducarái eu tenho que adimitir! kakakaka

Jonga Olivieri disse...

É que nem "agrega valor"... putzgrila, teve uma época que eu não aguentava mais.
Don Oliva
Ou, desculpe amigo, mas ando sumido por absoluta flata de tempo!

alexandre, marxista disse...

o filme "quanto vale ou é por quilo" dá uma boa idéia do que são iniciativas como "natal do bem".

redatozim disse...

Taí, porque é que ninguém faz uma campanha fazendo o natal do mal? Deve ter cliente pra isso, pô.

redatozim disse...

Sem dúvidas, don Oliva, "agregar valor" não é "do bem" e, definitivamente, é "de raiz".

redatozim disse...

não conheço o filme, alexandre, sorry

zega disse...

natal do mal é natal n'a obra, que aliás, fica lotada nessa ocasião. já virou tradição (graças a deus eu nunca fui)

redatozim disse...

É, zega, a Obra nunca foi pra mim, muito menos no Natal.

Micho en el pais de las maravillas disse...

Ah sim! Natal do bem...é assim que vamos ficando loucos amrgurados e remungões de raiz! é foda! Aff!

redatozim disse...

E olha que eu adoro natal, micho

ndms disse...

Mais uma vez este velho resmungão foi muito feliz em seus comentarios. Eu particularmente, acho que existe o que poderia chamar natal do mal, mesmo não aceitando muito essa minha ideia: natal do mal sería viver um natal sem esperanças, sem fé, sem sensibilidade para as miserias do mundo, enfim, o natal do mal seria algo que a pessoa carregaria em seu espírito todos os dias e não em uma só noite. O Natal por si só é a lembrança do bem, do amor e da fé, do reconhecimento das fraquezas e da prática da tolerancia. O Natal do mal seria a falta de tudo isso e vivendo dessa maneira, todos os dias

Um pouco confuso, não? Perdoem-me

redatozim disse...

O raciocínio está claro, ndms, não se preocupe.

Anônimo disse...

Pior que o tema é a própria promoção do Natal do Bem. Se entendi bem, você compra x reais, doa um brinquedo e ganha um enfeite para a árvore de natal. Ou será, gasta y dólares, pula de um pé só por todo o shopping, e ganha o direito de beliscar o papai noel. Sei lá é tudo tão confuso ...

redatozim disse...

Anônimo, eu realmente me irritei tanto com o tema que nem me interessei pela promoção.

*** Cris *** disse...

Olá, td bem?
Acho que essa expressão natal do bem é mesmo estranha, falta de imaginação...rs.
Bjs!

redatozim disse...

Pois é, Cris, achei que ficou parecendo um negócio muito cliché. E cliché ruim.