sexta-feira, novembro 14, 2008

Eu não falo a sua língua

Você sabe o que é andar de fasto? E o que significa niquinha? Bom, essas são algumas expressões daqui do interior de Minas que pouca gente conhece, mas que para quem é do lugar soam perfeitamente normais.

Quando morei em Curitiba, quase matei algumas pessoas de rir quando chamei “temporal” de “toró”. E não ficou por aí. Na primeira vez que fui comer um cachorro quente, o rapaz me perguntou se eu iria querer com uma ou duas vinas.

Sem saber o que significava aquilo e, com minha estupidez típica, preferi não perguntar o que era. Deduzi que fosse vinagrete e mandei logo “quero o meu sem vina”.

O rapaz começou a rir e perguntou: “você não é daqui não, né?”

Para quem não sabe, em Curitiba “vina” é como eles chamam “salsicha”.



PS – Pra quem ficou curioso, “de fasto” significa “de costas” e “niquinha” é moeda, imagino eu por causa de alguma época em que as mesmas eram feitas de níquel.




Direto na têmpora: Polizia Molto Arrabiata - Goran Bregovic

14 comentários:

emmibi disse...

Uia!
Aqui a a gente chama de "nica" as moedas.Deve ter a mesma origem.
E PASME, pq todo turista A-D-O-R-A: o pão francês se chama "cacetinho" e a bisnaga é "vara". Daí eu vou na padaria e peço uma vara e dez cacetinhos na primeira viagem ao RJ, já viu no que deu né?

Daí também vem a famosa expressão: "Se não aguenta vara, peça cacetinho" hahahaahah

Bom fds Redatozim!

redatozim disse...

emmibi, vc é de onde? Esse negócio de "vara" e "cacetinho" eu conheço em Salvador. Vc é baiana?

Tita disse...

hehehehe..Decididamente não falamos mesmo...
ahhh...tb chamamos "toró" aqui...
:p

redatozim disse...

viu, tita, algum em comum já temos. claro que o doce japonês e o quebra-queixo são nomes diferentes para o mesmo pecado, mas tudo bem.

Jonga Olivieri disse...

Eu costumava dizer quando morei em Portugal que aquilo lá era outra língua. E o pior é que é... de fato o é!
Por exemplo, a frase: "Vi um belo fato macaco à montra" o que significa para nós? Bom, seria mais a constatação de uma visita ao Zoo, certo?
Mas não. É tão somente e apenas: "Vi um belo macacão na vitrine". Ora pois!
Don Oliva

redatozim disse...

Se aqui é diferente, em Portugal mais ainda, Don Oliva.

ndms disse...

É o tempero regional e que tanta beleza empresta ao nosso idioma

danny falabella disse...

eu quero mudar para esta cidade onde a gente compra vara e cacetinho na padaria..hahahahahha aameiiiiiii!!! ui!

Helena disse...

Pior é em Belém, que a expressão "pai d'égua" é usada para comemorar alguma coisa. Por exemplo, "Pai d'égua, foi gol!!!"

redatozim disse...

ndms, às vezes beleza, às vezes estranheza, mas sempre legal.

redatozim disse...

danny, aqui se vc pedir é até capaz de conseguir risos

redatozim disse...

heleninha, um amigo meu de belém usa paid'égua como elogio. "Esse é um redator pai d'égua!"

zega disse...

cresci ouvindo que tênis era keds e estojo de lápis era penal... mas o meu maior trauma foi quando eu, recém chegado a bh, nunca conseguia comer um bauru. ora bolas, bauru nada mais é do que um misto quente com tomate dentro...

redatozim disse...

da sua lista eu só não conhecia penal, zega.