quarta-feira, outubro 10, 2007

Bombado

Textinho bombado de um projeto que acabou vingando e que logo, espero, anunciarei aqui.

"O telefone da menina na mão, conseguido de uma colega. Na tela do computador, uma foto (linda, linda) em sua página do Orkut e o endereço pronto pra ser adicionado ao meu MSN. Posso ligar, posso mandar um email, uma mensagem, deixar um scrap, enviar um SMS, caramba, posso até pegar o endereço e parar na porta da casa dela, tocando o interfone com as palmas das mãos suadas ou fazendo uma serenata.

Na mesma página do Orkut fiquei sabendo que ela não tem mais namorado. Tá muito fácil. Na última festa a gente até conversou um pouquinho e ela sorriu. Por um instante esqueci que tenho quase 30 e gaguejei. Tudo muito fácil? E eu? Cadê a porta de saída pra isso tudo que eu quero falar?

Aqui, na frente do computador, a coisa não simplifica. Não sei o que teclar sem parecer afoito, não sei o que falar sem parecer bobo, não sei nem que personagem criar pra ela me achar bacana. O espaço em branco do email a escrever, o cursor piscando, o endereço dela no “To:” e o meu nome no “From:”, tudo isso me chama de imbecil. Falta começo, meio e fim.

Largo tudo, entro no site do banco e resolvo umas pendências, saldos, contas, investimentos. Tudo ali. Acesso fácil. É nessa hora que me lembro do rosto dela e pronto! Lá se foi a senha, lá se foram os cálculos, lá se foram os planos.

Melhor me reiniciar."





Direto na têmpora: The Crawl - Placebo

8 comentários:

Rubens disse...

Devaneios de um old-fashioned boy...
Muito bom o texto, my friend. Final brilhante.

Redatozim disse...

Grato pelos elogios e pelo comentário, Rubs.

don oliva de saavedra y dedadas disse...

Momentos internéticos, cibernéticos. Coisas de nosso dias. Paqueras via "web". O amor ao alcance os dedos... não nos seios fartos ou na bunda popozuda, mas, simplesmente na tecla.
Poesia volátil? Sinal de tempos virtuais? Todavia, novos caminhos se materializando a cada instante... no tocar dos dedos, Sempre no tocar dos dedos.
Sem dúvida o primeiro e o mais expressivo membro sexual de todos os tempos.
Desde que Eva, com seus dedos furtou o fruto proibido, entregando-o a Adão, que, com seus dedos o recebe.
E o saboreou.

Redatozim disse...

Boa, Oliva.

don oliva de saavedra y manzanas disse...

... e olha que eu sou ateu que nem uma porta! Ou atôa que nem uma janela? Mas valeu pelo exemplo. hehehe

Redatozim disse...

A literatura bíblica independe de religiões, o exemplo permanece e os personagens também.

Eduardo César disse...

Muito bacana. Outros elogios, ligue para o MM.

Redatozim disse...

O MM até que tentou se explicar ontem, mas não convenceu, Edu. Uma lástima.