segunda-feira, agosto 20, 2007

Nem acarajé, nem Chiclete com Banana, é assim que eu gosto da Bahia

Passei quatro dias em Salvador e o que eu tenho a dizer é o seguinte:

- O filé do Juarez é melhor ainda do que eu esperava.
- O Bar da Ponta também é ótimo.
- O sorvete da Ribeira é sensacional, mas é longe pra burro.
- O Amado é um dos restaurantes mais bacanas onde já estive, mas é caro pra burro.
- O termo “baianada” para descrever ações absurdas no trânsito não é preconceituoso ou maldoso, ele apenas retrata com clareza uma realidade.
- Gostei bastante do Elevador Lacerda e do Pelourinho.
- Tem muita coisa precisando de uma bela reforma ou melhor utilização na cidade.
- O Mercado Modelo é mais legal de se ver do que de se visitar.
- O Forte de São Marcelo é bem mais legal de se visitar do que de se ver.
- O Maria Mata Mouro é um senhor restaurante.
- O Pestana é um senhor hotel (ainda mais quando você fica em quarto superior ao esperado / combinado).
- O Shopping Salvador é bem bonito. O Iguatemi é um pombal.
- O dique do Itororó foi uma belíssima surpresa.
- A Praia do Forte é bacaníssima e uma ótima pedida pra voltar com a Sophia.
- Imbassaí é linda, linda, linda, mas tem uma onda meio estranha, sei lá.
- Xandy ainda existe na Bahia, provando mais uma vez que para o mal não há limites.
- Tem umas estátuas boterísticas de uma gordinhas em Ondina que são bem legaizinhas.
- Os doces portugueses do restaurante Conventual, no sensacional Convento do Carmo, são incríveis, fantásticos e absurdantes. Mas a latinha de Coca custa R$ 6,00!!!!!
- Os planos inclinados são um negócio muito doido.
- A Fonte Nova está, como o time do Bahia, caindo aos pedaços.
- O “Encontro das Nádegas” é uma das esculturas mais esquisitas de todos os tempos.
- Eu e Fernanda adoramos Salvador. Já fiquei com vontade de voltar.




Direto na têmpora: Mulheres de Atenas - Chico Buarque

15 comentários:

Rubens disse...

Se a escultura a que você se refere como "Encontro das Nádegas" for aquela que fica em frente ao elevador Lacerda, vai uma correção: o nome correto da obra é "Bagos Sobrepostos". Há uma também, interessantíssima, que não me lembro onde fica, que se chama "Ode ao cu". Trata-se de obra côncava com um buraco no meio, um primor da arte soteropolitana. Praia do Forte merece mesmo uma nova ida. Imbassaí eu conheci ainda selvagem e quase deserta: linda mesmo. E não tinha essa onda meio estranha, sei lá.

Rubens disse...

Acabei de me lembrar de um fato curiosíssimo, que retrata bem o Salvador Way of Life. Estávamos no Pelourinho e meu irmão pede uma caipiroska sem açucar num boteco. "Sem açúcar", enfatizou. Horas depois (horas mesmo, sem exagero) chega a bendita. Meu irmão pega o copo e vê no fundo uma camada espessa de açúcar, coisa de uns dois dedos. Reclamou na hora, furioso com a demora e com a falta de atenção. O garçom veio, olhoo o açúcar no copo e mandou a pérola: "mexe não...". É por essa e por outras que vale a pena conhecer Salvador.

Redatozim disse...

Rubéola, compus uma alternativa à "ode ao cu" (que não cheguei a conhecer) e te enviei por email. No mais, a onda estranha de Imbassaí tem a ver com os frequentadores, uma mistura de hippongas e farofeiros com pé no rio. Mas que o lugar é lindo, é. Agora, a única tristeza da viagem foi não ter um caso genial como esse do açúcar pra contar. Damn it!

Gláucio disse...

1) Vc só comeu lá?

2) Não é Xandy, é Xandyy. Ele tb fez aquele negócio de numerologia. (sim, eu me envergonho de saber disso).

Jonga Olivieri disse...

Ôxente! Essa foi arretada e porreta. Quero dizer, a volta com o "Pastelzinho" com molho de pimenta e tudo.
Welcome back, seu cabra. Nada como uns dias tomando 'caldinho de sururú' com batidinha de côco...

Redatozim disse...

Grarco, respeitando ao máximo o seu déficit de atenção esclareçamos que:

1) Elevador Lacerda, Pelourinho, Mercado Modelo, Forte de São Marcelo, Pestana, Shopping salvador e Shopping Iguatemi, dique do Itororó, Praia do Forte, Imbassaí, estátuas boterísticas, planos inclinados, Fonte Nova e Encontro das Nádegas não são restaurantes. Portanto, com pra caralho, mas fiz bem mais que isso.

2) Eu também me envergonho por você saber disso.

Redatozim disse...

Teve bom, viu, Don Oliva? Tomara que dê mesmo um fôlego ao pastelzinho. Valeu a (benigníssima) insistência.

Jonga Olivieri disse...

Talvez estejam se referindo àquela escultura que fica quase em frente ao Elevador Lacerda?
O nome usual dela é "Culhões de Mário Cravo", que, por sinal é o autor da obra... hehehe
Esqueci de contar. Mas houve uma ocasião que um Verador burrinho queria colocar um "casal de gôndolas" no Dique do Tororó. Mais hhehehe

Adriana disse...

Em Salvador baianada é roubadinha. Welcome back!!!

Redatozim disse...

Precisamente ela, Don Oliva, que possui dezenas de nomes chulos ou semichulos. E essa das gôndolas seria ótima, imagina o gondoleiro cantando Ivete.

Redatozim disse...

Que falta de humor próprio deles, Dri. Imagina um baiano dizendo que fez uma baianada? Seria perfeito. No mais, tamo de vorta. Brigado!

ISABELA MOURA disse...

QUE LINDO! VC VOLTOU! OBA!!! NUNCA MAIS DIGA QUE VAI NOS ABANDONAR VIU? BEIJOS ! AH ! EU E CAROL ESTAMOS COM SAUDADE DOS PRESENTES.

Redatozim disse...

Quando for aí outra vez levo um grampeador e uma caneta sem tampa, Isabela. E só pra ser bastante sidneysheldonesco, "nunca digo nunca mais". Beijo pra você, pra Carol e um tapa na orelha do Gustavo e do Evaldinho. Ah, peteleco no Caetano também.

Helena disse...

Graças a Deus você voltou!! Meus fins de tarde já estavam ficando (ainda mais) dramáticos...

Redatozim disse...

hehehe obrigado, Heleninha, são seus olhos. Que termine o drama!