segunda-feira, agosto 27, 2007

Dedão na lente

Eu tenho uma Polaroid. Não é dessas porcarias que exploram a mão-de-obra barata de China, Taiwan e Hong-Kong, não. É Made in the United Kindom, sacô? Só que agora não se produzem mais filmes para Polaroids. Consegui comprar um pela última vez já faz cerca de um ano e agora todas as lojas especializadas são unânimes em me afirmar que o produto saiu de linha.

Esse fato simples leva basicamente a três coisas:

- Minha Polaroid tornou-se praticamente inútil, já que não pode ser mais utilizada para sua atividade primária, a saber, fotografar.

- Ninguém, nem mesmo profissionais e estabelecimentos do ramo, quer comprar minha Polaroid, já que ela agora é tão útil quanto os números da Megasena da semana passada.

- Minha mesa na agência acaba de ganhar um peso de papel prateado e com flash que me proporcionará momentos importantes de reflexão sobre a obsolescência das coisas e a marcha inexorável do tempo.




Direto na têmpora: Crazy love – Bryan Ferry

11 comentários:

Jonga Olivieri disse...

Tenho um amigo, um puta dum fotógrafo. Um dia -- há alguns anos atrás --, eu falei com ele:

-- Fulano, entra na era digita;, senão você já era...

O cara, não somente não entrou na era digital, como deixou de falar comigo. At;e hoje, anos passados.
Só que eu sei, por outras pessoas que o cara foi engolido pelo trem da história. É foda!

Havia aconteciso comigo. Eu tinha uma câmera Super 8. Um belo dia, fui comprar um filme e não vendiam mais.

Em muito poucos anos essas máquinas fotográficas "convencionais" e os filmes vão sumir do mercado.

Redatozim disse...

Pois é, Don Oliva, aconteceu inclusive com muitos (e bons) arte-finalistas e diretores de arte. Dinossauro vira fóssil porque não quer evoluir.

Jonga Olivieri disse...

Conheço alguns "senhores" diretores de arte que não "compraram" a idéia do computador, e, simplesmente sambaram.
Hoje, temos que estar update com tudo o que surge.

Gra disse...

Gostei.... tudo anda se tornando obsoleto... e em tamanha rapidez que assusta....

Redatozim disse...

É, Gra e Don Oliva, esse iphone que hoje vos encanta será motivo de zombeteiras risadinhas daqui a alguns anos. Como diria o filósofo Lulu "Platão" Santos: "tudo passa, tudo sempre passará".

Rubens disse...

O MoMA em NY tem em seu acervo um Macintosh modelo Classic. Lindo. Talvez sua Polaroid possa fazer companhia a ele.

Redatozim disse...

Rubéola, esse é o tal Museu de Grandes Novidades de que falava o Cazuza. Vou mandar uma foto da minha Polaroid com currículo anexo pra ver se ela consegue a vaga. Aliás, te liguei sábado pra dar os parabéns, mas você não atendeu. De qualquer forma reforço os melhores votos aqui.

Andre disse...

Você pode comprar filme pra ela aqui, ó...

http://www.bhphotovideo.com/bnh/controller/home?shs=polariod+film&ci=0&sb=ps&pn=1&sq=desc&InitialSearch=yes&O=RootPage.jsp&A=search&Q=*&bhs=t

Redatozim disse...

Não sei se é o André Setaro, o Dequinho ou algum outro André, mas valeu demais a dica. Correrei atrás imediatamente, nem que seja para deixar lá em casa de presente pra Sophia.

Gláucio disse...

Cara, eu tenho uma polaroid. E todo ano olho pra ela pensando no que fazer com a coitada e nunca tenho coragem de jogar fora.

Eu meio que robei do meu pai, e depois que ele morreu ficou aquela coisa sentimental com a máquina.

Mas ok, eu sei que esse post aqui já está ultrapassado.

Redatozim disse...

Pois é, a minha eu vou guardar como brinquedinho pra Sophia. O André até me indicou onde compra filme e, se bobear, vou encomendar um e deixar pra ela testar daqui a alguns anos.