domingo, abril 10, 2011

BH - Ipatinga, um roteiro

1) No carro, ainda na ida, ouvindo "O Vira" dos Secos & Molhados:

- Sophia, sabe como chama esse moço que canta essa música?

- Como?

- Ney Matogrosso.

- E como chama essa menina que tá cantando aí?



2) No Beleus, Sophia comendo impressionada o famoso e ainda delicioso pão de queijo:

- Olha, papai, tem queijo!


3) Em Ipatinga, Sophia falando com o namorado da minha tia:

- O meu pai gosta de "rókein".


4) No Salão do Livro, reencontrar Júnia Mayrink, Daniella Bital com o marido e seus 3 filhos lindos, a professora Suzana, Dona Ione, Nena de Castro, Aníbal e família, Fernanda La Noce, Breno Doce (com direito a filho, sobrinho e um dos filhos do Léo Bundão), Paulomar Nascimento, Dona Ione, o pessoal do Clesi, a mãe do Bruno, Professor Amilar e esposa, Lúcio Brum e se esqueci de alguém, me desculpem. E ainda conhecer o cartunista Duke e o "livreiro" Preto.


5) Depois do Salão, visitar o Arábia do meu querido amigo Juquita, encontrar Pedrinho Teixeira e Ana Paula Caixeiro. Receber mensagem do Serginho Simões, encontrar o Tananan no Morro do Pilar, encontrar o Átila no Centro Comercial, encontrar Cristina e seu irmão Rogério Pacheco.


6) Ficar na casa da tia Vanda e conhecer seu namorado Hélio, além de poder passar um tempinho com meu primo Tiago e sua Vanessa prestes a dar à luz.


7) Sophia adorou ver um gambá se equilibrando e percorrendo um quarteirão inteiro sobre os fios de energia.


8) Rever minha casa, com a garganta apertando, dividir tudo com Fernanda e com Sophia, que adorou a viagem.


9) A delicatessen do Elisinho é massa, a Av. Japão tá cheia de estabelecimentos comerciais e o Almanara parece que fechou.


10) Eu, Sophia e Fernanda voltaremos, mas da próxima vez de trem, porque a 381 é simplesmente impraticável.

A verdade é que Ipatinga ainda é minha cidade. Ainda me emociona e me faz ser quem eu sou. Tudo mudou muito da última vez que estive ali, há cerca de 9 anos, mas ainda é o lugar onde me sinto em casa.

A alegria de ver quem eu vi foi enorme e a saudade de quem não encontrei só aumentou. Tudo me parece menor, mas tudo me parece ainda Ipatinga. Lugar que eu amo, pessoas que eu amo, história que sempre será um pouco minha.




Direto na têmpora: Diamonds and rust - Joan Baez

8 comentários:

PC disse...

Inda bem que Ipatinga ficou em você, nego.
Imagina como seria o post sem a viagem:
Dormi a tarde inteira...

Fê disse...

Rever o colégio que estudei até aos 16 anos, me fez encher os olhos d´água...Muito bacana!!!

redatozim disse...

hahahaha não ia rolar, PC.

redatozim disse...

foi bacana demais, Fê...

Tina disse...

Maurilo:
fiquei emocionada ao ler seu relato sobre a sua visita à Ipatinga;é meu caro, vamos ficando mais emotivos com o tempo e não economizamos mais lágrimas !! Fui muito abençoada ao reencontrar você e Fernanda, um sentimento forte tomou conta do meu coração...
Encontrei com Dª Ione Franco e ela me pediu o nome de seus livros lançados para que ela adquira para os netos, me mande no FB.Abraços !!

redatozim disse...

Foi muito bom estar aí, Cristina. Previso voltar mais vezes, ainda mais agora que Sophia amou o lugar. Beijo bem grande.

Eflúvios Literários disse...

é de queijo. Maurilo, você faz a vida parecer tão simples e tão boa. fico feliz sempre que venho comer um pastel.

redatozim disse...

Então venha sempre, EL. Obrigado e beijo.