quinta-feira, setembro 03, 2009

WWF - WTC = DM9DDB

A DM9DDB fez um filme e um anúncio que comparavam o ataque às torres gêmeas com a destruição do tsunami. A peça não foi veiculada, não foi aprovada pelo cliente, mas a agência a inscreveu em um prêmio.

Eu acho uma peça de mau gosto, meio na linha criatividade a qualquer custo, mas essa é a opinião de uma pessoa e nunca deve pautar as decisões de uma dupla de criação, de uma agência e nem de um cliente.

O problema foi que, mais do que achar de mau gosto, o público estadunidense e a imprensa em geral massacraram a campanha de forma virulenta e violenta. Qual a reação da DM9? Tirar o filme do youtube, dizer que "os responsáveis não trabalham mais na empresa" (o que é mentira) e tentar "abafar o caso".

Eu esperava mais da DM9. Esperava uma postura que dissesse algo como "a DM9 acredita em levar a ousadia às últimas consequências, o problema do meio ambiente é sério e nós acreditamos que nossa idéia é pertinente, criativa e eficiente, tanto que a inscrevemos em prêmios e a divulgamos com orgulho. Pedimos desculpas às pessoas que ofendemos e sentimos pela reação contrária à peça, mas nunca iremos deixar de buscar o caminho mais ousado e/ou inusitado. A propósito, os responsáveis que não trabalham mais na empresa saíram por outros motivos e não por um cerceamento à criatividade e à ousadia."

Esse era o tipo de resposta que uma agência do porte da DM9DDB deveria dar. Era isso o que eu esperava, mas como eu disse, uma agência não deve se pautar pelo que alguém como eu pensa.

Se quiser ver o filme, ele foi "Cicarellizado" e tirado do youtube, mas ainda pode ser visto aqui.




Direto na têmpora: Lover's Spit - Broken Social Scene

18 comentários:

Eduardo César disse...

Maurilo, é raro, mas eu concordo plenamente com você.

redatozim disse...

Normal, Edu, você vai crescendo, criando juízo e concordando comigo ;)

Rafael disse...

Maurilio, sabe o que acaba com o argumento desta peça. É que vc acaba dizendo que as mortes no atentado teve menor valor do que as do tsunami. Acho que o problema da revolta geral, e que seria de qualquer país que tivesse sofrido tal ataque é esse. Em ambos os casos, pessoas perderam parentes... então não se pode usar argumentos quantitativos para esse assunto. Do tipo, aqui o meu sofrimento foi maior pq morreram 1000 pessoas, e o outro responde: "Que isso, isso não foi nada, no meu país morreram 100000" Por fim o 11/09 é um fato histórico extremamente recente, em um país que fez dela uma bandeira e um culto para atitudes nem sempre corretas.

redatozim disse...

Pois é, Rafael, eu acho que a peça desconsidera o sofrimento em nome de uma suposta criatividade. O grande problema, no entanto, é a postura covarde da DM9DDB. Fez? Assume, pô.

Jonga Olivieri disse...

"Prefiro não comentar!
Don Oliva

redatozim disse...

Como dizia minha tia avó. Caluda, Don Oliva!

Gabi Alvarenga disse...

DM9DDB: WTF???

redatozim disse...

Saiu um vídeo do Sampaio se desculpando, Gabi, mas acho que a agência deveria ter tido a mesma postura que ele.

André Maia disse...

É, meu amigo Maurilão, Quel me mostrou o filme hoje cedo e eu também não gostei nem um pouco. Pra eles, é como se uma tragédia justificasse a outra, como se uma fosse pior porque matou mais pessoas. Lamentável.

Danny disse...

Pior que o video é a atitude deles. Concordo plenamente com vc. pegou mau em dobro.

ajoelhou tem que chupar!

Gastão disse...

Olha, eu gostei do vídeo.

E, de propósito, chamo-o de "vídeo", e não de "peça", porque não sou do ramo, não sei analisar "o que acabou com o argumento" dela, o que não me impede de opinar e até mesmo de gostar (ou não gostar).

Discordo da análise do Rafael. Não acho que o vídeo compara o valor entre as vidas das vítimas de uma coisa e de outra. Entendi que ele diz algo como: "a pior tragédia causada pelo homem matou X. A pior causada pelo planeta matou 100 vezes mais. O planeta é poderoso, cuidado com ele."

Entendo que para os americanos a ferida ainda doa muito, por isso entendo a reação deles. Concordo que as imagens são chocantes, talvez mais que o conveniente, e que usá-las foi algo desnecessário, se o objetivo era passar uma mensagem tácita, quase óbvia.

Gastei uns minutos tentando achar situação comparável, que estivesse mais próxima a mim do que o 11 de Setembro, para imaginar como eu me sentiria vendo um vídeo que a retratasse. Talvez as mortes pela violência urbana, ou o acidente da Air France (um conhecido meu estava no vôo), mas não consegui. Nada se compara ao 11 de Setembro.

Portanto, resumindo, é isto: entendo acharem de mau gosto, entendo a revolta dos americanos, entendo a agência decidir voltar atrás (embora concorde com Maurilo, a maneira foi torta). Mas EU achei interessante a idéia, achei bem feito, e olhando friamente não vejo desrespeito às vítimas.

Ju Sampaio disse...

Nossa, me desculpe, mas eu discordo completamente!
Você acha mesmo que "busca pela ousadia" (a.k.a. prêmios) vem acima de qualquer coisa? Acima de ética, respeito humano, inteligência e coerência científica? Porque essa peça carece de tudo isso, é totalmente infeliz. Aliás, tenho tido muita vergonha de me dizer publicitária nos outros círculos que frequento, porque somos, com muita folga, os mais alienados, prepotentes e sem noção. Esse anúncio foi só mais um exemplo.
Cuidado com esse argumento do "cerceamento à criatividade", Maurilo, porque muitas vezes o que a gente taxa de "cerceamento à criatividade" é só a tentativa de se combater o que muitas vezes se esconde sob essa pretensa criatividade: racismo, sexismo, ofensas, inverdade, desrespeito, etc. A publicidade, a brasileira principalmente, tem que comer muito arroz com feijão ainda (de preferência, temperados com uma pitada de Foucault) pra achar que pode dizer o que quiser e como quiser.
(Tô meio revoltada, né? Cê tá vendo... Mas é que tô perdendo a paciência com tanto "assvertising"® que tenho visto por aí. Um abraço pra você!)
®Marjorie Rodrigues

redatozim disse...

Eu acho que foi uma vontade de chocar que não teve a mínima sensibilidade, DEquinho, e pra se tratar de temas assim, sensibilidade é fundamental.

redatozim disse...

FEz, assume, né, danny?

redatozim disse...

Pois é, Gastão, eu nem entrei tanto no mérito da peça. Acho de mau gosto, mas ach mesmo triste é a agência criar, investir, acreditar e depois, diante de uma reação negativa, bancar o avestruz e enterrar a cabeça no chão.

redatozim disse...

Ju, acho que você não entendeu bem o que eu quis dizer. Ou eu nnao me fiz entender bem. Eu não apoio o filme. Inclusive, eu abro o texto dizendo que achei de mau gosto. O que eu acho é que se a DM9 criou, apresentou, produziu e inscreveu em um prêmio, é porque ela tem orgulho da peça e aí eu listei alguns argumentos que ela poderia usar. Não são os meus argumentos, mas é o que eu esperaria de uma agência de grande porte que defenda o seu trabalho. Ou isso, ou um pedido de desculpas como fez o Sampaio, e não um tira o meu da reta.

Ju Sampaio disse...

Mas, Maurilo, olha o que você escreveu: "Esse era o tipo de resposta que uma agência do porte da DM9DDB deveria dar. Era isso o que eu esperava". Se você esperava uma resposta assim deles, suponho que você acha então que usar esse tipo de argumento seria razoável, e é disso mesmo que tô discordando. A pisada na bola foi tão grande, que eu não vejo argumentação possível a não ser se desculpar (gesto mais nobre do que tentar defender o indefensável).

redatozim disse...

Ju, se eles acreditam e investem em uma peça, coerência é defender sim, o seu ponto de vista. Se cometeram um erro, o certo é pedir desculpas, entretanto não me parece que eles acham que erraram, portanto que defendam seu ponto de vista, que expliquem porque fizeram e no que pensaram.
O que não pode é se esconder e mandar notinha culpando profissionais jovens.
Pra mim, pedir desculpas formais por uma estratégia de "vamos acabar com o buzz rapidinho" é bem mais vergonhoso do que defender sua posição. É realmente o que eu esperava da DM9, mesmo discordando veementemente da peça.