segunda-feira, julho 20, 2009

Para os amigos tudo, menos originalidade

Hoje é o Dia do Amigo e eu, mantendo minha tradição de ser pouco original até a medula, escrevo um post sobre o quê? Adivinhou, sobre a porcaria do tal do amigo.

Sobre o assunto eu tenho três coisas a dizer.

1) O melhor (ou um dos melhores) nome de cachorro que eu já ouvi quem deu foi o Ayres. O cachorro dele chamava justamente "Amigo".

2) Existem dezenas pessoas na minha vida com as quais eu vivi situações de amizade extrema por períodos curtos e, tempos depois quando nos reencontramos, já não havia a cumplicidade antiga. Eles nunca foram meus amigos? Aquilo que aconteceu foi o quê? A amizade acaba e se perde todo o vivido? Não sei. Eu tenho grandes amigos hoje, mas sempre fico com a sensação de que tive outros grandes amigos que simplesmente se perderam ao longo de nossas trajetórias, e aí fico extremamente na dúvida se digo que eles foram meus amigos (como se eles tivessem morrido ou tivéssemos brigado) ou que eles são meus amigos, ainda que não nos falemos, não consigamos conviver ou sequer nos gostemos tanto mais.

3) Para os amigos que ainda são e estão, queria dizer que eu ainda estou aqui e que ainda sou aquilo tudo de ruim e de bom. Gostaria dizer que, sim, eu me lembro e que mil vezes sim, você pode contar comigo. Queria dizer que seu segredo está seguro, que seu medo está bem cuidado, que seus sonho tem um braço com que contar. Queria dizer, amigo, que não sou original e que ofereço pouco. Mas o que ofereço, pode estar certo, é seu.




Direto na têmpora: Personality Crisis - Toy Dolls

14 comentários:

Micho en el pais de las maravillas disse...

como assim você não falou dos amigos do pastel? como assim você não nos dedicou nem um parágrafo no texto? heim?
Explanations please now!
Feliz dia do amigo virtual

redatozim disse...

Que é isso, micho, amigo independe do encontro físico. Vocês estão todos no item 3. Ou 2 conforme o caso rsrsrs beijo e Feliz Dia do Amigo.

Danny disse...

bacana e sim, original quando tocou no assunto da amizade extrema que depois virou um nada...uma curiosidade: eram do meio? pq notei que isso aconteceu comigo diversas vezes e coincidência a maioria delas eram do mundinho...

redatozim disse...

danny, aconteceu com colegas de trabalho, com colegas de faculdade, colegas de boteco, de viagem, de infância... acontece muito, aliás. Será que o problema é comigo? rsrs

Gastão disse...

Redatozim, meu irmão, e dos grandes amigos que eu tenho nessa vida (Top 3, pelo menos).

Existe amizade em diversos níveis. Aqui no Banco tenho meia dúzia de amigos de verdade. Se eu sair do Banco, quantos vão continuar amigos de verdade? Não sei, e não importa. Importa é que hoje são amigos de verdade, com quem eu compartilho alegrias, tristezas e boas conversas.

Além desta meia dúzia há outros, que não sei (e não preciso saber) se são amigos ou colegas, mas que mereceram uma mensagem do dia do amigo.

Grande Redatozim, amigo de verdade.

Aquele abraço.


Gastão

redatozim disse...

Meu caro Gasta, amigo de verdade através de muitas e boas, feliz Dia do Amigo.

tita disse...

e amigo virtual, vale?
=)

redatozim disse...

claro que vale, tita, amigo é amigo, uai

Renata Feldman disse...

É bom ter amigos como você, redatozim! Conte comigo sempre que precisar!
Abração

redatozim disse...

Idem, Rê. Estamos sempre aqui. Beijo!

alexandre amilar disse...

Caro redatozim, também temos aqueles forjados na infância e que se distanciam ao longo dos anos por questões dos caminhos da vida. E que num gostoso futuro reencontro, mesmo que fortuito, deixam transparecer o verdadeiro gosto da amizade, o gostar do outro espontaneamente, do que foi vivido e compartilhado, do que poderá vir, sem interesses ou simulações.
Grande abraço.

redatozim disse...

Sem dúvidas, Amilar, tem amigos que o tempo e a distância só fazem ganhar valor e tornarem-se ainda mais fundamentais pra gente.
Grande abraço, meu velho.

Jonga Olivieri disse...

Isso tudo me faz lembrar um Contato que conheci numa agência cujo sobrenome era justamente "Amigo".
Nem me lembro de seu nome porque todos o conheciam assim.
Era um sujeito honesto e sincero.
Cois meio incomum no atendimento de um modo geral!
Don Oliva

redatozim disse...

O cara ter o sobrenome de "Amigo" é um peso fodaço de carregar, Oliva. É igual a um certo "Leal" que eu conheço, que é tudo menos isso.