quinta-feira, março 10, 2011

Criatividade

Assim que eu fiz meu primeiro estágio, fiquei absurdado de ver como a criatividade é algo que responde bem a prazos e limites.

Juro que quando recebi meu primeiro job em uma agência (um anúncio para uma marca de sapatos femininos com dois dias de prazo) eu pensei em desistir. "Eu nunca vou conseguir um título do caralho pra isso em 48 horas. Nunca!". Mal sabia eu que um dia mataria por prazos assim.

O fato é que consegui, recebi alguns elogios e aprendi logo de cara que a criatividade é facilmente direcionável quando se tem um problema a ser resolvido em mãos. Talvez não seja o melhor, talvez não seja genial, mas é sempre possível conseguir uma solução adequada.

Claro que às vezes vem uma inspiração sabe-se lá de onde e você tira leite de pedra até nos trabalhinhos mais comuns, mas aí é que está a diferença. Criatividade não é inspiração.

Em publicidade não se pode contar com a inspiração, não se pode depender do lampejo, do insight, porque temos prazos, verbas e demandas a serem respeitados. O que podemos e devemos fazer é transformar nossa mente em solo fértil para que o "lance genial" surja com mais frequência.

Eu tento fazer isso com livros, filmes, música, redes sociais e inutilidades em geral que me mantenham intelectualmente ativo e interessado. Outras pessoas preferem outros caminhos.

De qualquer forma, a criatividade é o exercício de olhar as coisas de outra forma, de listar possibilidades, formatos, combinações, de evitar e de usar bem o clichê. Criatividade é acenar com brinquedinhos e guloseimas para atrair a solução que está entocada em algum canto do cérebro.

Como eu disse no começo do parágrafo anterior, é exercício. E já aconteceu mais de uma vez que, usando a criatividade, eu conseguisse extrair a fórceps a solução muito bacana que a inspiração não me trouxe de mão beijada.




Direto na têmpora: My Best Friend's Girl - The Cars

10 comentários:

Raquel do Carmo disse...

Como Einstein já dizia muitíssimo bem: “Work is 1% inspiration plus 99% transpiration”

redatozim disse...

E o genial depende do 1%, Raquel rsrsrs mas com os outros 99% dá pra fazer muita coisa bem feita.

Sakana-san disse...

Concordo com vc, Maurilo, e por esta razão, não concordo com agências que não permitem que seus criativos utilizem redes sociais, skype e deixem usar a internet livremente. Faz parte do nosso trabalho, manter-se pluggado, trocar ideias. Certo que muita gente se esquece do trampo quando está num msn da vida, mas ficar enclausurado só olhando para a tela do computador tb não rola inspiração. Não gosto de trabalhar onde eu me sinta "engessada".

redatozim disse...

I hear you, sister.

Nircia Agda disse...

Assim como você e Sakana-san, penso que a criatividade está dentro de nós, das coisas que absorvemos no nosso dia-a-dia. Infelizmente conforme citou Sakana existem muitas empresas que pensam que a internet e o ócio não contribuem para a criatividade. Gasta-se muito em programas motivacionais e se esquecem do trivial.

redatozim disse...

E aí o esforço pra ser criativo redobra, Nircia.

Renata Feldman disse...

É uma questão de repertório, caro redatozim! E isso você tem de sobra!
Abração!

redatozim disse...

Valeu, Rê. E é esse repertório que os caras novos precisam buscar.

Danuza Falabella disse...

e quem não é da área muitas vezes não entende como funciona e acha que estamos coçando saco... as vezes é preciso sair, olhar pessoas, coisas, ler de tudo sem preconceito...enfim, concordo. um exercício.mas cada dia mais complicado devido a extinção do tal prazo...48 horas? como éramos felizes e não sabíamos né?

redatozim disse...

tudo verdade, danny. saudades dos prazos de 48 horas...