terça-feira, março 02, 2010

Len Bias

Len Bias nunca jogou pelos Celtics, nunca comemorou um título da NBA e nunca usou sua camisa número 30. Len Bias não foi MVP, não recebeu milhões de dólares da Reebok e não estrelou em um único filme de Hollywood.

O parágrafo anterior está cheio de motivos pelos quais você nunca deve ter ouvido falar de Len Bias, mas se você era um fã dos Celtics em 86 e acompanhou os 20 anos de sofrimento que se seguiram, esse parágrafo diz quase tudo o que você precisa saber sobre Len Bias.

Os Celtics foram campeões em 1986 com um time que incluía 3 dos 50 maiores jogadores de todos os tempos da NBA: Larry Bird, Kevin McHale e Robert Parish. Naquele ano, graças a algumas trocas feitas pelo genial Red Auerbach, Boston tinha ainda o número 2 no draft e não havia dúvidas sobre quem o time escolheria. Cleveland, que escolheria primeiro, precisava de um pivô e Boston poderia selecionar Len Bias, considerado o que havia de mais próximo a Michael Jordan na época.

Lenny Bias foi escolhido pelos Celtics e, na festa de comemoração ainda na noite do draft, teve uma parada cardíaca causada pelo consumo de cocaína com alto grau de pureza.

Eu já conhecia essa história, mas ontem a ESPN passou um documentário sobre a morte de Len Bias que eu queria realmente ter visto. Não consegui assistir inteiro, mas fico pensando como a morte deste jovem de 22 anos teve implicações não apenas em sua família, mas em toda a NBA e nos Celtics especificamente. Nem mesmo a morte de Reggie Lewis em plena quadra (2'20 do video) alguns anos depois teria tanto impacto.

Não sei se o Boston ganharia mais títulos com Bias ou mesmo se ele seria uma grande estrela. Ele poderia machucar o joelho na pré-temporada de 87 e nunca mais ser o mesmo, quem sabe? Pelo menos ele teria recebido 20 mil dólares por mês durante dois anos na pior das hipóteses.

O fato é que Len Bias foi uma história interrompida e que deixa milhares de "como seria se" para os fãs da NBA.

Você provavelmente nunca ouviu falar de Len Bias, mas ele tinha 22 anos quando morreu e, cara, ele era bom.







Direto na têmpora: Birthday - The Bird And The Bee

6 comentários:

Serginho disse...

O tal do número 1 que foi escolhido antes do cara pelo menos se deu bem?

redatozim disse...

Serginho, eu até lembro dele no auge e sei que foi um bm pivô, mas não fez história e nem ganhou títulos. Será que o Bias ia ser melhor? Sei lá, mas parece que sim.

Sandro Andrade disse...

www.len-bias.com

redatozim disse...

Porra, se rolar o filme vai ser bom demais, Sandro. Vamos torcer.

david disse...

Eu tinha 14 anos e era fã dos Celtics e (principalmente) do Larry Bird, soube da história mas não tinhamos muitas informações.
Hoje vendo os documentários e filmes de BIAS no período da Universidade de Maryland Só dá pra sentir um nó na garganta e alguma lágrima ivoluntária teimosa. . . Por ele e por tantos jovens consumidos pelas drogas. . .

redatozim disse...

É realmente uma história triste, david, principalmente por ser um cara que não era usuário constante, mas algueem que "experimentou" poucas vezes.