segunda-feira, janeiro 18, 2010

Calma, porra!

Eu usei aparelho móvel durante um ano. Sem problemas, sem stress.

Depois, com uns 15 anos, eu descobri que os dois últimos dentes do lado direito superior estavam encavalados e fui sentenciado ao aparelho fixo.

Durante três semanas ou mais, vivi com a parte interna da bochecha cortada, inchada e sangrando. Foi aí que, demonstrando toda a minha calma e resignação, eu arranquei o aparelho com um garfo e me dei alta do tratamento.

Anos depois isso me custou um dente e algumas boas centenas de reais, mas eu era jovem, inconsequente e achava que o futuro só me reservava o melhor independentemente das minhas escolhas e atitudes.

Não digo que tenha melhorado muito de lá pra cá no quesito paciência, mas aprendi que às vezes é preciso aturar os cortes na parte interna da bochecha.

Infelizmente parece que Sophia herdou de mim essa grande urgência injustificada diante de tudo e uma intolerância maior ainda à frustração. Vai passar muita raiva, mas se souber transformar isso em um rumo e não em uma reação, pode se dar muito bem.

Aliás, acho que é isso que eu desejo para 2010. Lidar de forma intempestiva contra as adversidades, mas não de forma reativa e sim de maneira a buscar uma solução.

É que na minha opinião o grande problema não é ser impaciente, intolerante com as próprias limitações ou radical em suas posturas. Mil vezes isso ao cordeirismo. O grande problema é pensar curto e não usar a energia que vem destas "imperfeições" para criar novos caminhos.

Se eu conseguir fazer isso, conto pra vocês em 2011. Quem sabe?




Direto na têmpora: Favorite thing - Replacements

6 comentários:

Mano disse...

Pois logo em 2010 ano do Tigre, segundo os china ano dos extremos.

boa semana.

redatozim disse...

Uia! Eu nem sabia disso, Mano.

Ilda Marcia disse...

Eu era assim, ou melhor ainda tenho um pouquinho disso.O fato é que quando eu fiquei grávida eu descobri que tem coisas que a gente tem que esperar mesmo,não adianta correr e acabei aplicando isso na vida diária, sabe que ficou mais fácil lidar com os outros e as coisas.Bom, mas vc não tem como ficar grávido fisicamente, mas quem sabe na próxima gravidez da Fernanda (que parece ser zen) vc treina o psicológico com ela.bjos

redatozim disse...

Sabe, Ilda, eu nem sei se quero mudar isso. Acho que me impulsiona ser assim. Caso contrário eu cairia na pasmaceira.

ndms disse...

Eu só sei que eu te amo muito, mas muito mesmo do jeito que você é: excelente filho e pai

redatozim disse...

puxa, ndms, obrigado, viu? fico emocionado com isso também.