quinta-feira, junho 02, 2011

Um pé apaixonado

Aquele pé era simplesmente apaixonado por uma menininha de cabelos cacheados e muito risonha.

Ele ficava olhando pra ela, queria conversar com ela, fazer carinho, mas a menina detestava.

- Sai daqui seu cascorento! Vai embora chulezento! Eca, eca, eca!


O pé então tomava um banho reforçado, cortava e limpava bem as unhas, passava cremes, jogava talco entre os dedos e ficava todo lindo e cheiroso só pra menina.

E você acha que adiantava? Que nada! Era só chegar perto que a meninca começava.

- Sai daqui seu cascorento! Vai embora chulezento! Eca, eca, eca!


O pé então ficava cada dia mais triste e mais choroso. E ele ficou tão desesperado de amor que resolveu procurar uma feiticeira que morava na floresta ali perto.

Bateu na porta da casinha, entrou e foi logo chorando:

- Buuuuuuááááá!!! Eu gosto dela e ela não gosta de miiiiiiiiiiimmmmm!!!

- Quem não gosta de você, pezinho?

- A menina sorridente dos cabelos cacheaaaaadooooooossss!!!

- Calma, calma, mas por que ela não gosta de você?

- Porque... porque... porque eu sou um... um... um péééééééé!!!


A feiticeira pensou, coçou a cabeça, procurou no seu livro de poções e feitiços e disse:

- Olha, pezinho, eu tenho aqui alguns feitiços de transformação, mas eu não sou muito boa nisso. Você quer que eu tente mesmo assim? Não dá pra ter certeza do resultado, hein?

- Eu quero, eu quero sim. Qualquer coisa é melhor do que ser um pé desamado.


A feiticeira então fez um pozinho na sua cozinha, jogou em cima do pé falou as palavras mágicas e bum... a transformação ficou completa.

Um tempinho depois, alguém bateu à porta da menininha. Ela abriu, mas não viu ninguém. Bateram de novo e ela sentiu um focinhozinho gelado cheirando seu pezinho.

Era um coelhinho bem branquinho e fofo que ela pegou e abraçou e amou e cuidou muito bem daquele dia em diante. E o coelhinho foi sempre feliz, feliz.

Mas o que a menina não sabia era que, depois que ela dormia, o coelhinho saía escondido, abria o armário e se deitava bem confortável dentro de algum sapato bem grande.

Ficava ali, aconchegado, sonhando bem descansado com o tempo em que ele ainda era pé.



PS - Essa historinha eu fiz pra Sophia, que simplesmente detesta quando meu pé diz que a ama e tenta dar uns beijninhos nela.




Direto na têmpora: Blue skinned beast - Madness

4 comentários:

Marco Merlin disse...

Vou ler para os meus sobrinhos. Depois te conto se eles preferem pés ou coelhos. :)

redatozim disse...

Valeu, Marco, tomara que eles gostem.

Maura disse...

Heheheh! Acho que ela vai curtir mesmo é o coelhinho!
heheh!
Tô passando pra contar que, enfim, voltei a blogar e postei umas fotinhos da minha filhota (que tb se chama Sophia) pra vcs conhecerem!
Um abç,
Maura, mamãe da Sophia

redatozim disse...

Abraço recebido, Maura. Ah, passa o link certinho. Beijo.