segunda-feira, fevereiro 28, 2011

Aprendendo a calar

Às vezes é preciso calar para compreender. Calar para não ser injusto, calar para não dizer o que se pensa, calar para seguir em frente.

É preciso acreditar que o silêncio ajudará a fechar também os olhos diante das coisas e que a mudez trará algum tipo de calma.

Às vezes é preciso calar e pedir, pedir muito, para que isso seja suficiente.



PS - Aos leitores, peço desculpas por escrever cada vez menos aqui e depender tanto da Sophia para encontrar algum ânimo para postar. Um dia passa. Sempre passa.




Direto na têmpora: Now it's on - Grandaddy

10 comentários:

Ju Soares disse...

Calar a gente entende. Mas ficar sem postar no pastelzinho, nao. rs

redatozim disse...

O silêncio acaba contagiando tudo, Ju.

Flor que Fala disse...

E depois de ter lido isso, eu me arrependi de várias vezes ter falado demais...
Roubei seus versos porque pra mim disseram muito!

abraço!

redatozim disse...

abraço, flor que fala, e muito obrigado.

Danuza Falabella disse...

pura verdade. e quanto ao desânimo, com certeza passa. são fases e vc tem o direito de estar numa fase mais quiet. (mas tomara que passe logo. amamos o pastel!)

redatozim disse...

tomara que passe logo mesmo, dan.

Raquel do Carmo disse...

Aprender a calar é vital. Saber lidar com o silêncio e conseguir compreender tudo o que ele significa no hoje e como refletirá no amanhã,mais ainda. Uma matéria que todos nós deveríamos e precisamos muito aprender.
Quanto a ausência de ânimo, ouso dizer que é uma fase de deserto, na qual todos passam ou já passaram. Por mais doloroso e sem perspectiva que possa ser, é preciso levantar a cabeça, olha além do horizonte e acreditar que o deserto também é fértil.
Muita força pra você e paz! Grande Beijo...

redatozim disse...

Valeu, Raquel. Beijo e obrigado.

Diogo Gomes disse...

Adorei o post, e também o blog. Parabéns! Muito bom gosto!

redatozim disse...

Valeu, Diogo, apareça sempre. Ah, meru irmão tbem é Diogo Gomes :P