quarta-feira, abril 14, 2010

O jeito de fazer

Na maioria das vezes não é o que você faz, mas como você faz.

Você pode ser um gênio e não conseguir sequer ser notado. Você pode fazer tudo 100% certo e ainda assim desagradar a todos. Você pode ser medíocre e sair por cima.

Nas relações interpessoais isso é mais verdade ainda. Você pode demitir alguém de forma respeitosa, você pode elogiar alguém sem parecer puxa-saco, você pode reclamar sem ser agressivo, você pode ser carinhoso sem ser meloso.

Algumas pessoas sabem como fazer e outras não. Não há como ensinar e eu me esforço cada vez mais para desenvolver esse tipo de tato, mas confesso que às vezes tenho inveja do Baras que, ao receber a milésima ligação do número não identificado da Oi, respondeu imediatamente e sem elevar a voz.

- Olha, Carla, eu realmente não tenho interesse. E, por favor, não me ligue nunca mais, ok?

Poupou tempo aos dois, não se exasperou e evitou a situação constrangedora de mandar às favas alguém que ele sequer conhece.

Um exemplo, esse Barão.




Direto na têmpora: Final round - Grizzly Bear

12 comentários:

Rafa disse...

Maurilo, é possível desenvolver as suas competências interpessoais sem ser na tentativa e erro. Eu fiz o Treinamento de Competências Interpessoais da Dale Carnegie em 2008, aqui em BH mesmo (http://www.dalecarnegiemg.com.br/programas_02.php?id_sub02=576&botao=Enviar). Uma das técnicas específicas que aprendemos é justamente o elogio sincero e construtivo. Essa, junto com: como discordar de outra pessoa sem criar ressentimento, como conseguir a cooperação voluntária da pessoa, como mudar atitudes negativas das pessoas sem causar ressentimentos e como controlar o stress têm me ajudado a relacionar melhor com os que estão à minha volta.

redatozim disse...

Rafa, eu quase deixei de publicar seu comment por causa do merchan da Dale Carnegie, mas vá lá, dessa vez passa.

Ilda Marcia disse...

vc já começou exercitar o aprendizado com o post aí de cima.kkkkk

redatozim disse...

hahahaha deixa de ser ruim, Ilda.

Ju Soares disse...

Me lembro sempre de uma frase dita por uma professora sua: "o Maurilo tem um humor fino"...

redatozim disse...

O humor fino quase gerou uma revolta entre os colegas de sala, Ju. Troglodita mode: on.

Jonga Olivieri disse...

É mesmo difícil alcançar tal maturidade e sabedoria nas relações interpessoais...

Don Oliva

redatozim disse...

Difícil demais, viu, Oliva.

PC disse...

Se o Barão fosse solteiro, eu casava com ele.
Sujeitinho doce, esse menino...

redatozim disse...

Ele é um piteuzinho, PC.

Rafa disse...

Opa, desculpe pela minha falha. Da próxima vez vou apenas mencionar os benefícios que tive (como fiz na parte não-merchan do meu comentário) e quem quiser saber mais, tem como entrar em contato comigo? Ou entra com você e chega até mim, né? Obrigado pela dica e pela tolerância.

redatozim disse...

Sem problema nenhum, Rafda. O link continua lá pra quem tiver interesse. Sem stress.