sexta-feira, maio 08, 2009

Adrenalina é o escambau

Acabei de ver uma peça do Uni-BH com o seguinte texto: "Adrenalina é meu lema. Minha profissão: publicitário."

Não vou aqui criticar a peça, até porque não sei quem fez e em quais circunstâncias, mas posso dizer que tive uma epifania ao vê-la: eu realmente não sou publicitário. E não é só porque adrenalina não é, absolutamente, meu lema, mas principalmente porque na minha opinião este é um estereótipo que perpetua um problema.

Preferiria mil vezes encontrar a mensagem "criatividade é meu lema", "inovação é meu lema", "agilidade é meu lema" e até mesmo "eu e o meu ego gigante somos o meu lema" do que ver esse lance da adrenalina.

Se eu gostasse de adrenalina, ia fazer rappel, mergulhar com tubarões ou usar a camisa do Palmeiras na torcida do Corinthians. Eu gostoi mesmo é de fazer uym trabalho bem feito, de ir além do breefing, de fazer o cliente entender que publicidade é muito mais que anúncio. Nem sempre (quase nunca) eu consigo, mas continuo tentando. Isso pra mim não tem absolutamente nada a ver com adrenalina. Meu lema é ir além seria um título melhor no meu ponto de vista.

Se ser publicitário é achar do caralho virar noites, fazer tudo com prazos diminutos e inadequados e vibrar com isso, eu definitivamente sou um outro tipo de profissional que nada tem a ver com publicitários. Faço o que é preciso fazer, obviamente, mas sempre sou a favor de ter tempo e calma para fazê-lo, sem desespero, sem adrenalina.

É esse tipo de pensamento que perpetua máximas como "publicitário não tem horário" e outras mais. Falácias que acabam virando uma verdade muito conveniente para alguns.

Trabalhar nessa pilha acontece, mas não deveria ser a norma ou o estímulo. Não é o meu lema definitivamente, mas provavelmente o errado sou eu. Afinal, já ouvi um atendimento dizer, enquanto eu e o diretor de arte criávamos a campanha, lá pelas tantas da noite que adorava "trabalhar" nessa adrenalina. Outro, dono de agência, veio afirmar alegremente que o trabalho só rende mesmo se for de última hora, com prazo apertado.

Devo ser uma ave rara nesse meio, porque prefiro mil vezes entregar uma campanha bem pensada, planejada e desenvolvida (como acho que consegui ontem junto com o Andrés) do que fazer coisas tocadas, na maior adrenalina. Acontece de ser assim por motivos vários? Claro. É o ideal? Para mim, não.

Sendo assim, vai aqui a dica de um velho resmungão para os novos publicitários, sejam do Uni-BH ou de qualquer ou centro educacional: se você um dia trabalhar com alguém que gosta de ir pra casa às 19h e curtir a mulher e a filha (ou fazer qualquer outra coisa), que não se importa em chegar cedo e que não curte tanto a "adrenalina" da propaganda como você, tenha paciência. Perdoe-o. Ele provavelmente trabalha na área, mas não é publicitário de corpo e alma.




Direto na têmpora: Do You Remember The First Time? - Pulp

41 comentários:

zega disse...

outro dia eu vi um busdoor com um conceito parecido, algo como: “pra ontem é o único prazo que ainda não conseguimos cumprir”. se eu tiver que trabalhar numa agência que vende prazo como diferencial vou rodar o portifa rapidinho...

Adriana disse...

Também morro de preguiça desse tipo de abordagem. Só perde pra esse negócio de incentivar a inveja entre vizinhos e mulheres. Aff...

lilaemarcelo disse...

rapaz, sou então tão publicitária quanto vc! Adrenalina assim não é o meu lema mesmo. Chego a ficar apavorada quando chega a sexta-feira, pq normalmente, neste dia da semana, tudo vira "para ontem"!

redatozim disse...

pois é, zega, isso aí é anos 80 no máximo, velho. Quem ainda se vende usando esse tipo de "diferencial" tem mais é que abrir um delivery 24 horas.

redatozim disse...

Concordo. Aquela campanha dos vizinhos desmaiando com o carro (acho que era Peugeot) do vizinho era dessa laia, dri. Precisa mesmo disso pra vender?

redatozim disse...

E tem gente que ama, lila. Como diz um amigo meu, deve ser falta de ambiente em casa.

brunaladeira disse...

Concordo demais! Meu lema é qualidade de vida! Às Favas com a adrenalina...

brunaladeira disse...

Quem criou essa campanha não trabalha em agência. Às favas com a adrenalina! Nosso lema é qualidade de vida!!!

danny falabella disse...

concordo plenamente Maurilo. Eu não curto estas de ficar até as tantas. Logico que se tem que ficar, fazer o que, né? Mas eu prefiro levantar cedinho e render. Também não me encaixo nesta aí de adrenalina, não. O pessoal do planejamento, então, deve estar sofrendo mais ainda com esta chamada do cartaz. Desde quando adrenalina combina com planejamento??Aquele texto do Henfil que se refere a criatividade como um Dobermman preto no calcanhar, nunca me cativou apesar de que de fato é verdade. Eu gosto de dobermann treinadinho e educado. Posso juntar-me ao seu time de não-publicitários?

Micho en el pais de las maravillas disse...

E eu? heim? e eu que nem sou publicitária? eu que sou uma povrezinha advenediza do marketing que custa para colocar no dicionario dos atendimentos algumas palavrinhas básicas como: Planejamento, organização e tempo hábil? heim? heim? eu que gosto de trabalhar com planejamento e cronogramas? Eu que quase morro quando recebo o briefing, digo que não dá ....tenho que ouvir como resposta, dá sim...faz do jeito que der é no aperto que surgem soluções geniais!
Odeio adrenalina!!!!!!Odeio.
UFFF

redatozim disse...

bruna, é bem possível que não trabalhe mesmo e aí, acaba comprando uma imagem que, pelo menos pra mim, não é ideal de trabalho pra ninguém.

redatozim disse...

eu quero mais um bulldog dormindo no meu pé, danny.

redatozim disse...

é, micho, dá até vontade de fazer uma contracampanha.

Rubens disse...

Vi essa peca hoje de manhã e pensei a mesma coisa, my friend. "Meu lema: adrenalina. Minha profissão: publicitário" é o mesmo que dizer: Se você quer emoções fortes, seja publicitário! Posso estar enganado, mas me parece o tipo de campanha criada por nego novo na profissão, que acha o máximo contar em casa que virou a noite no trampo. Já disse pra alguns e repito: os publicitários são vítimas de si mesmos.

redatozim disse...

Quer emoções fortes vai ser toureiro, né não, Rubéola? Quero ver essa alegria hora de virar a noite por causa de um relatório anual ou de alguma concorrência de cartas marcadas.

Tita disse...

Pasta...concordo em gênero, número e grau com vc.

redatozim disse...

valeu a solidariedade, Tita.

Elias disse...

Credo, esses publicitários reclamam demais...

redatozim disse...

nóis resmunga de com força, elias. O sonho de todo publicitário é ser funcionário público, no mau sentido, claro.

Gastão disse...

Redatozim, meu irmão...

O que me intriga tem a ver com o que o Rubens falou: quem fez essa peça é um publicitário. Será que ele representa uma tendência dos novos profissionais recém-saídos da faculdade? Será que é idéia do dono da agência, querendo mandar um recado para o mercado (de mão-de-obra) e para seus próprios funcionários? Será que é um puxa-saco querendo agradar ao dono da agência?

Mal posso esperar pelas próximas peças da campanha: dentista, advogado...

redatozim disse...

Gasta, eu sinceramente acho que essa peça foi feita por estudantes com uma expectativa equivocada do mercado de trabalho. É por aí.

zega disse...

na minha época quem fazia a campanha era uma das agências experimentais, mas isso já tem uns dois ou dez anos

redatozim disse...

mas nem é pra malhar a agência, zega é mais uma crítica à visão da profissão que existe hoje.

Anônimo disse...

Conheço alguns professores que são donos de agência. Esse pode ser o Xis da questão. O gado vai sendo treinado "in loco". Tb opto pela qualidade de vida, Mau.
Bjs e bom findi!
Dea

redatozim disse...

Pode ser sim, Déa, mas acho que a coisa é mais da imagem que nós mesmos construímos da gente.

zega disse...

só pra justificar a teoria de que o conceito foi feito por gente nova q curte jantar pizza em cima do teclado

redatozim disse...

sim, sim, a teoria procede, zega.

Zé disse...

Maurilo, muito bom! Me inclua nessa também. Somos da mesmíssima opinião. Quem quiser adrenalina e virar a noite no trabalho é melhor se candidatar a leão de chácara.
Abraços e sucesso no novo trabalho.
Zé.

redatozim disse...

Zé, muitíssimo obrigado pelos bons votos. Virar noite a gente vira, mas daí a gostar e a vender isso como algo duca já é demais.

ndms disse...

Esta é uma excelente materia para reflexão daqueles que estão querendo entrar para a dita profissão ou para outra qualquer
Meus parabéns pelo importante recado e pela puxada de orelha

redatozim disse...

Tomara que ajude alguem, ndms

Anônimo disse...

Minha profissão: engenheiro eletricista. Meu lema: mexer com força.

redatozim disse...

hahahahahaaha boa anonimo

emmibi disse...

não poderia concordar mais com tudo.
urgente é tudo aquilo que alguém deixou pra fazer de última hora porque não se organizou direito.

só mais um comentário sobre
"Faço o que é preciso fazer, obviamente, mas sempre sou a favor de ter tempo e calma para fazê-lo" - isso não é coisa de gete velha, meu querido.

é coisa de gente experiente e madura.
=]

redatozim disse...

tudo misturado, emmibi: maduro, experiente e velho.

Isabela Moura disse...

Não poderia ficar de fora desse "resmungo"! Maurilo, vc falou e disse! Quem disse que pra ser bom tem que virar a madrugada. Isso não se chama criativida, eficiencia ou bom trabalho. Chama se falta de planejamento. estou contigo meu caro.

redatozim disse...

E acontece, Isabela, pode ser um imprevisto, até aí tudo bem. Só não rola de glorificar ou de dizer que a profissão é isso.

Renata Feldman disse...

Assino embaixo! Acho que é por isso que acabei virando psicóloga, apesar de também ter sangue de redatora na veia e achar isso uma cachaça, desde que degustada com o mínimo de tranquilidade possível, sem ter como regra essa correria alucinante que acaba comprometendo a qualidade do trabalho...
Troco na hora essa adrenalina por uma boa endorfina, dessas que vêm numa barra de chocolate, ou em uma hora de pilates, ou num texto bem escrito ou depois de uma grande noite de amor.

redatozim disse...

Ou que a pressa seja, pelo menos, para pegar um avião e passar uma semana na praia, Renata, e não para esperar outra pressa...

Deo disse...

Adrenalina pra mim é tomar uma breja no boteco às 19h01.

redatozim disse...

Concordo 100%, Finório.