quinta-feira, julho 17, 2008

Ki-suki na veia

Meus problemas com o nome vêm da mais tenra infância. Ainda não tinha 10 anos e a empregada lá de casa já se via impossibilitada de me chamar pelo nome originalmente escolhido pelos meus pais: Maurilo.

O único consolo é que a figura também errava o nome de meus irmão Diogo e Werner, resultando em uma chamada para o lanche que soava exatamente assim:

- Maril, Diogui, Verno, vem tomá seu ki-suki.

Para quem não entendeu, "ki-suki" era como a Raimunda chamava suco Qualquer suco. Mesmo que fosse feito da fruta, espremido na hora diretamente por ela.

Enfim, estamos aí, Maril Shuêra, um seu criado.




Direto na têmpora: As sete vampiras - Leo Jaime

8 comentários:

danny falabella disse...

hehe oootima...mas esta de ter nome trocado acontece muito(e sei que já te chamei de Maurilio...pode me mandar a m...hehe) e sei que é um saco...eu, por exemplo, muitas vezes sou Vanuza, Santuza, Danuzia ou até mesmo geruza...(ahh sim,meu apelido é de quem se chamaria Daniela mas fazer o que..)

redatozim disse...

Eu daria um livro só com essas coisas, Danny, mas tenho pela consciência de que estou longe de ser o único. Pode perguntar pro Telemaco amigo meu, cujo apelido é Telê.

Lucas Queiroz disse...

Boa Amauri... Ki-suki foi ótima hhehehe... Manda um abraço pro desigual do Joaquim.

redatozim disse...

Você, Joaquim e Aécio, isso é que é ménage, Lucas.

Micho en el pais de las maravillas disse...

Ah sim...eu tenho este apelidinho de gato, graças a minha babá peruana e linda que não falava español direito.

redatozim disse...

hahahaah achei que fosse um apelido tradicional em espanhol.

ndms disse...

Não se esqueça do "galfo". O que me impressiona é que nada disso influenciou na sua ótima formação para falar e entender o idioma português

redatozim disse...

Nem tinha como influenciar, ndms.