segunda-feira, julho 30, 2007

Raul, Ruy e outros Castros

Hoje estava ouvindo o José Lino na Itatiaia e o tema era a “fuga” da delegação cubana. De repente, no meio da conversa um dos convidados comenta que ficou indignado com a atitude do irmão de Fidel Castro, o Ruy Castro. A partir da confusão do rapaz não consegui mais ouvir o programa. Primeiro porque fiquei imaginando o que teria acontecido com Raul, o verdadeiro herdeiro do trono cubano, segundo porque fiquei pensando os motivos que teriam levado o escritor Ruy Castro a assumir o poder na ilha.

Ruy pode ter aproveitado a oportunidade da sucessão do velho líder para, talvez, ampliar seu rol de biografados, que já conta com Garrincha e Nelson Rodrigues, com as presenças ilustres de Fidel Castro, do boxeador Teófilo Stevenson ou do falecido Ibrahim Ferrer. Aliás, ser “el presidente” de Cuba seria um adendo interessante à biografia do próprio Ruy Castro, nosso mineiro de Caratinga.

Ah, como eu torci pro tal convidado do José Lino estar certo. Seria muito mais bacana que a realidade. Ao invés disso, segue tudo na mesma: o Ruy escrevendo, o Raul substituindo e o Fidel se agüentando. Ces´t la vie.




Direto na têmpora: I´ve seen all good people - Yes

2 comentários:

Jonga Olivieri disse...

E eu que nem sabia que "el comandante" tinha um irmão chamado Ruy. Realmente um homônimo do Ruy Castro. Nuuuu! Essa foi demais!

Redatozim disse...

hehehehe Pelo jeito o comentarista lá tem um acesso privilegiado ao poder cubano que poucos possuem. Meu medo é apenas de que ele seja extraditado após revelar a existência de um irmão maldito do Fidelito.