quarta-feira, dezembro 21, 2011

Choro

A primeira vez que eu ouvi o choro da Sophia eu sorri.
Não era um lamento suave ou tranquilo, era um urro que clamava vida, um grito primal que celebrava um começo.
Só fui chorar depois, quando fiquei sozinho, civilizado e escondido.




Direto na têmpora: The geeks were right - The Faint

4 comentários:

Danuza Falabella disse...

é o choro mais abençoado da face da Terra...

redatozim disse...

É o mais animal e o mais humano, Dan.

ingrid disse...

ah que lindeza maurílio

redatozim disse...

obrigado, íglêide.